Insurgentes explodem navio petroleiro na Nigéria

Fontes do porto afirmam que muitas pessoas tiveram ferimentos leves, mas não foram registradas mortes

REUTERS

11 de janeiro de 2008 | 16h00

Militantes que lutam pela autonomia do sul da Nigéria, região produtora de petróleo, detonaram uma bomba controlada por controle remoto em um petroleiro na sexta-feira, provocando um grande incêndio. Este foi o segundo ataque das forças insurgentes no país com a maior produção petrolífera da África em uma semana, mas as exportações da commodity não foram afetadas, afirmaram fontes da indústria.   O navio-tanque Golden Lucy estava se preparando para descarregar combustível refinado no porto principal da cidade de Port Harcourt quando foi tomado pelo fogo, após duas explosões, segundo testemunhas. Ninguém foi morto pela explosão, mas muitas pessoas tiveram pequenos ferimentos, segundo fontes do porto. "Houve uma explosão e o petroleiro foi coberto por chamas", afirmou o comissário da polícia Felix Ogbaudu, acrescentando que as causas da explosão ainda estavam sendo investigadas. O Movimento pela Emancipação do Delta do Níger (MEDN), organização que concentra diversos grupos insurgentes, assumiu a responsabilidade pelo ato. "Lutadores em prol da liberdade que trabalham na indústria petroleira detonaram um explosivo controlado remotamente, o que causou o incêndio", afirmou o grupo em um e-mail divulgado para a imprensa. O porto da cidade possui tanques para armazenar combustíveis refinados, mas não está envolvido com os negócios de exportação de petróleo e gás. O maior terminal exportador de petróleo e gás da Nigéria é encontrado na ilha Bonny, a 50 quilômetros de distância da explosão.

Mais conteúdo sobre:
PETROLEONIGERIAATAQUE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.