Inteligência emocional no currículo
Conteúdo Patrocinado

Inteligência emocional no currículo

Ter habilidades socioemocionais é tão importante quanto dominar a técnica para alavancar seus negócios

Dell, Estadão Blue Studio
Conteúdo de responsabilidade do anunciante

17 de novembro de 2021 | 08h00

Você talvez não saiba, mas a sua comunicação, a sua criatividade e o seu pensamento crítico podem te diferenciar não só na vida pessoal, mas na carreira. Essas competências hoje são consideradas essenciais para o sucesso, assim como ter muitos diplomas ou falar outros idiomas. “As habilidades comportamentais, chamadas de soft skills, são tão importantes quanto as hard skills, que são as habilidades técnicas”, explica Nora Mirazon Machado, sócia fundadora da Trilogie Branding e Carreira. “Todos ganham quando a gente evidencia as soft skills: você vai ser uma pessoa muito mais fácil de conviver quando dominá-las, em qualquer ambiente”, completa.

Empatia, liderança, atitude, criatividade, adaptabilidade. Essas foram algumas das soft skills exigidas ao longo da pandemia da covid-19. Diante de um cenário de vulnerabilidade mundial, 84% das brasileiras viram uma oportunidade de reavaliar suas vidas e carreiras. É isso que mostra um estudo recente da Pearson com a Morning Consult, realizado em seis países.

A pesquisa mostrou que a maioria das mulheres afirmam estarem apostando em si mesmas para o futuro e planejam abrir o próprio negócio em 2022. Além disso, elas estão interessadas em aprender novas habilidades (88% das brasileiras). “Mesmo com os desafios, as mulheres seguem buscando melhores oportunidades – além de desenvolverem novas habilidades, principalmente aquelas com foco em empreendedorismo e em liderança”, afirma Heloisa Avilez Guerato, diretora comercial da Pearson.

Acesse seus poderes

Para Dani Graicar, CEO da agência Pros, foram as suas habilidades socioemocionais que fizeram com que ela chegasse tão longe como empreendedora. Foi a partir de sua experiência que ela fundou o Movimento Aladas, que mantém uma plataforma de apoio a mulheres que querem empreender e que agora oferece um curso para ensiná-las a conhecer e desenvolver as soft skills. “Não à toa, o curso se chama ‘Acesse seus poderes’: a gente vai ensinar as mulheres a identificarem suas forças e mostrar o que elas já têm de melhor”, explica.

Ao lado dela nessa nova empreitada está Dani Junco, CEO da B2Mamy. “As soft skills podem ser usadas em várias esferas da sua vida, em todas as suas relações interpessoais. Diferentemente de você aprender Excel, que é uma hard skill, aprender a criar um ambiente seguro, a saber liderar um time e a ter criatividade você usa pra tudo. E aquilo que você aprende ninguém tira de você”, diz ela.

Para inspirar outras mulheres, Dani Graicar e Dani Junco, ao lado de outras líderes e empreendedoras, marcam presença no evento online “O voo delas, a transformação de todos”. Promovido por Aladas e Estadão, será no Dia Mundial do Empreendedorismo Feminino, 19 de novembro, a partir das 9h, e pode ser acompanhado nas redes sociais do Estadão.

Tudo o que sabemos sobre:
mulherempreendedorismotrabalho

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.