Internacionalização está concentrada na divisão química

A internacionalização de seus negócios sempre esteve no radar do grupo Ultra. A expansão fora do Brasil faz parte da estratégia da companhia, mas está concentrada hoje na divisão química do conglomerado, a Oxiteno.

Mônica Scaramuzzo, O Estado de S.Paulo

17 de fevereiro de 2014 | 02h05

Com presença forte no México, onde atua em especialidades químicas, o grupo reforçou sua posição no exterior em 2012, com uma fábrica da Pasadena Property, no Texas, marcando a entrada do grupo nesse segmento também nos Estados Unidos. No mesmo ano, adquiriu a American Chemical, no Uruguai.

Do total de investimento divulgado pelo grupo para este ano, de R$ 1,48 bilhão, a Oxiteno destinará R$ 161 milhões, sobretudo para expandir a capacidade em Pasadena e na conclusão da ampliação de sua capacidade na sua unidade no México.

O grupo Ultra há alguns anos já tinha avaliado ativos da Shell no segmento de gás liquefeito de petróleo (GLP) na Europa, mas o negócio não foi adiante. O grupo nunca confirmou proposta pelos ativos da petroleira no exterior, mas não desmentiu que tem planos ambiciosos para internacionalização de seus negócios.

O foco do grupo, neste momento, está no planejamento da expansão da rede de farmácias pelo País, segundo fontes próximas à companhia. A compra da rede Extrafarma, ano passado, foi só o começo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.