International Paper assume fábrica da VCP e dobra tamanho

A International Paper (IP) do Brasil assumiu nesta quinta-feira a fábrica de papéis para imprimir e escrever da Votorantim Celulose e Papel (VCP) em Luiz Antônio, São Paulo, e, dessa forma, dobrou sua capacidade de produção no País. A posse estava prevista no acordo de troca de ativos firmado entre as empresas em setembro do ano passado.A unidade, que desde a meia-noite passou a produzir papéis com a marca Chamex, tem capacidade de produção de 400 mil toneladas/ano, mesmo volume produzido pela IP em sua fábrica de Mogi Guaçu (SP). "A plena integração de Luiz Antonio é muito importante para a nossa operação. Deixamos de comandar apenas uma fábrica e passamos a ter um sistema produtivo no País", comentou o presidente executivo da IP do Brasil, Maximo Pacheco.No primeiro trimestre de 2009, a companhia norte-americana inicia ainda as operações de uma nova fábrica de papel, com capacidade para 200 mil toneladas/ano, em Três Lagoas (MS). A implantação dessa máquina, conforme Pacheco, foi viabilizada justamente pela permuta de ativos celebrada com a VCP e vai elevar para 1 milhão de toneladas/ano a capacidade produtiva total da IP no País. "A troca de ativos viabilizou o projeto de celulose, que passou para a VCP, e de papel em Mato Grosso do Sul", reiterou o executivo. "O sistema produtivo que passamos a administrar permitirá o aproveitamento de sinergias, planejamento de produção e otimização das linhas", acrescentou.Conforme Pacheco, que às 7h30 desta manhã chegou à unidade de Luiz Antônio para receber os trabalhadores do primeiro turno da fábrica, as decisões relativas a processo produtivo, transporte e logística serão tomadas nos próximos seis meses. "O processo de integração começou e terminou hoje, porque, primeiramente, é uma questão de atitude", disse aos funcionários. O executivo comentou também que as sinergias esperadas ainda serão calculadas. "Vamos, por exemplo, tornar mais eficiente o transporte de madeira, utilizando toras na fábrica que estiver mais próxima", afirmou.Em Mato Grosso do Sul, a VCP também promoveu um encontro com vistas a apresentar o projeto da fábrica de celulose branqueada de eucalipto que já está em construção e deve partir no primeiro trimestre de 2009. Com capacidade de produção de 1,2 milhão de toneladas/ano da fibra, a unidade abastecerá a fábrica de papel da IP que também está sendo erguida no local.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.