Internautas culpam bancos, governo e FMI por juro alto

Bancos, financeiras, governo e Fundo Monetário Internacional (FMI). Para a maioria dos 1.882 internautas que participaram da enquete do Portal estadao.com.br sobre o tema, estes são os grandes culpados pelas altas taxas de juro no País. A discussão foi acalorada: "Em terra de agiota, quem tem banco é rei", afirmou Marcos Zaparolli, de São Paulo. "Atualmente a única coisa que está caindo é o meu poder aquisitivo. Está muito difícil conviver com o cheque especial", desabafou Wagner Ivanova, também paulista. Para Bernardo Lopes da Rocha, do Rio de Janeiro, os juros altos "só enriquecem os banqueiros" e deixam os empresários brasileiros ainda mais "anêmicos". Já para o brasileiro Renato de Oliveira, que escreveu da Flórida, a redução dos juros pode prejudicar mais do que beneficiar o Brasil. "Se o Copom baixar os juros, provavelmente eu e mais centenas de investidores vamos procurar (melhores) rendimentos em outro país", alertou. De acordo com a pesquisa, 94% dos internautas acreditam que o Copom promoverá algum tipo de redução na taxa Selic na reunião que termina hoje. A aposta majoritária (25,61%) foi de corte de um ponto percentual, para 25% ao ano. IndignaçãoO analista de sistemas Adriano Lago sentiu na pele o drama dos juros altos. Devendo cerca de R$ 1,5 mil no cartão de crédito, ele percebeu que não conseguiria quitar o pagamento mínimo de R$ 300 no mês passado e telefonou para a empresa para avisar e tentar renegociar. "Eles disseram que, sem o pagamento da quantia mínima, não havia acordo. Fiquei indignado com a postura da empresa", disse. Em dois meses, ele acrescentou, sua dívida cresceu R$ 500 só por conta de juros. "Já cancelei o cartão. Com esses juros abusivos não dá."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.