André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Intervenção do Rio é para desviar atenção da Previdência, diz líder do PSB

Para deputado Júlio Delgado, no entanto, é difícil a oposição votar contra o decreto na Câmara diante da situação pela qual passa o Estado

Isadora Perón, O Estado de S.Paulo

16 Fevereiro 2018 | 15h23

BRASÍLIA - Ao entoar o discurso da oposição, o líder do PSB na Câmara, Júlio Delgado (MG), também afirmou nesta sexta-feira, 16, que a intervenção na Segurança Pública do Rio foi uma medida adotada pelo governo do presidente Michel Temer com o intuito de tirar a atenção da votação da reforma da Previdência, marcada para a próxima semana, e até agora com placar desfavorável paras a pretensões do Planalto.

Intervenção no Rio é a porta de saída da reforma da Previdência

"Cheira muito mal. É uma medida muito dura para ser tomada porque eles não conseguiram os votos para a Previdência. A crise no Rio não começou ontem", disse o deputado. 

Delgado, no entanto, admitiu que é difícil os deputados da oposição votarem contra o decreto diante da situação pela qual passa o Estado. "Votar contra o decreto é difícil, mas a gente sabe que não existe coincidência política", afirmou.

Intervenção na segurança do Rio inviabiliza votação da Previdência até dia 28, diz Maia

A determinação que autoriza a intervenção na Segurança Pública foi assinada nesta sexta-feira pelo presidente Michel Temer e delimita que o Exército assuma a área no Estado, com responsabilidade sobre as polícias, bombeiros e o setor de inteligência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.