Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Investidor corta aposta extrema contra mercado emergente, aponta BofA

Investidores cortaram apostas extremas contra mercados emergentes em abril, conforme uma melhoria nas expectativas de crescimento para a China e preços baixos atraíram administradores de recursos para ativos de maior risco, mostrou uma pesquisa divulgada nesta terça-feira.

Reuters

15 de abril de 2014 | 12h27

A pesquisa mensal do Bank of America Merrill Lynch com administradores de fundos indicou que investidores reduziram suas posições "overweight" (acima da média do mercado) na Europa, enquanto que o otimismo em relação ao crescimento nos Estados Unidos encorajou dois em cada três administradores a esperar juros maiores no curto prazo, um nível não visto desde 2011.

Dois por cento dos administradores de fundos estão evitando exposição a mercados emergentes neste mês, em comparação com 21 por cento em março. Essa leitura percentual considera a diferença entre posições "overweight" (aqueles que esperam desempenho acima da média do mercado) e "underweight" (aqueles que esperam desempenho abaixo da média).

A pesquisa do BofA Merrill Lynch, que consultou 188 participantes com um combinado de 546 bilhões de dólares em ativos administrados, apontou ainda que investidores acreditam que os mercados emergentes atingiram a maior depreciação em 13 anos.

As expectativas sobre o crescimento da China melhoraram pela primeira vez em nove meses.

Entre os mercados emergentes, investidores se tornaram "overweight" na Rússia ante "neutro" em março, enquanto que a Índia e a Indonésia também viram um aumento nas posições "overweight" graças às suas reformas econômicas.

(Por Natsuko Waki)

Tudo o que sabemos sobre:
EMPRESASINVESTIDORESEMERGENTES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.