Investidor deve diversificar aplicações

Com juros em queda, a palavra de ordem para o investidor que deseja uma rentabilidade diferenciada é diversificar. E, como o ganho em fundos prefixados não deve ser dos maiores, já que as taxas não deverão cair com força nos próximos meses, os fundos de derivativos conservadores e os multicarteira aparecem como opção para o investidor que tem alguma disposição para correr riscos. No caso do investidor mais agressivo, os fundos de ações são uma alternativa mais interessante.O diretor de Administração de Recursos de Terceiros do Banco AGF Braseg, Kazuhiro Miyamoto, diz que o ganho que se pode ter em fundos prefixados hoje é pequeno. Os maiores rendimentos ainda disponíveis estão nos papéis de prazo mais longo, e mesmo assim não são dos maiores. Com isso, ele entende que será preciso arriscar um pouco para conseguir rentabilidade melhor.Os fundos multicarteira aplicam parte dos recursos em renda fixa e parte em ações e são uma opção para o investidor que quer aproveitar as perspectivas positivas para a bolsa. Com a redução dos juros, a renda fixa fica menos atraente. Além disso, a queda das taxas é positiva para o crescimento da economia, pois melhoram as perspectivas de lucratividade das empresas. O investidor que tem mais disposição para o risco pode aplicar nos fundos de ações.Uma outra opção são os fundos de derivativos conservadores, que correm alguns riscos, mas não evitam o risco de rendimento negativo nas apostas. Mas Miyamoto ressalta que, nesse caso, é preciso confiar muito na capacidade do gestor. Veja os links abaixo:Analistas recomendam diversificar aplicações Fundos DI perdem atratividade Investidor deve diversificar aplicações Cartilhas de investimentos - Fundos

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.