Investidor deve ter tranqüilidade

As dicas dos especialistas para que o investidor evite aplicar ou resgatar no momento errado não são complicadas, mas exigem disciplina, sangue-frio e paciência. As principais recomendações são analisar o histórico de rentabilidade por prazos longos, verificar como o gestor se saiu em momentos de crise, conhecer a política de investimento e respeitar o prazo de maturação do fundo, não se impressionando com rendimentos positivos ou negativos apurados num ou noutro mês - o que vale é registrar um desempenho consistente ao longo do tempo.O gerente de Risco da Sul América Investimentos, Miguel Russo, ressalta a importância de o investidor analisar a rentabilidade do fundo por períodos dilatados, de preferência por dois anos ou, se não for possível, por pelo menos um ano. Ele diz ainda que é preciso olhar o rendimento mês a mês, e não apenas o acumulado no período, para perceber o comportamento do fundo ao longo do tempo. Selecionar o gestor de maneira cuidadosa e conhecer a política de investimento do fundo também é fundamental para aplicar os recursos da melhor maneira possível, afirma ele.Russo insiste ainda que o investidor deve respeitar o prazo de maturação do fundo. Ele explica que o gestor precisa de um tempo para conseguir a rentabilidade que se propõe a obter. Se conhecer esse prazo e respeitá-lo, o investidor aumentará a probabilidade de atingir seu objetivo de investimento. Quando seleciona um gestor, o investidor deve estabelecer uma relação de confiança com ele - desde que a escolha tenha sido feita de maneira consciente.O diretor de Administração de Recursos de Terceiros do Banco AGF-Braseg, Kazuhiro Miyamoto, ressalta que é importante consultar especialistas para ter informações sobre o melhor momento para aplicar, principalmente no mercado de renda variável. Ele diz ainda que, para diluir o risco, é melhor investir aos poucos do que aplicar todos os recursos de uma vez. Com isso, a possibilidade de investir num momento desfavorável é menor. Miyamoto também destaca que é fundamental aplicar por prazos longos. Afinal, embora isso não seja garantia de uma boa rentabilidade, trata-se de uma precaução para recuperar-se de eventuais perdas e escolher o momento mais indicado para sair do fundo, realizando lucros em vez de prejuízos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.