Investidor está mais atento à evolução da economia

Dados indicam que a poupança se tornou mais atraente para os pequenos investidores, que constituem o grosso dos aplicadores nessa modalidade

O Estado de S.Paulo

10 de março de 2017 | 03h00

Em face das despesas adicionais que pesaram no orçamento das famílias no início do ano – como pagamento de matrículas, gastos com material escolar e impostos –, não surpreende a informação do Banco Central (BC) de que as retiradas nas cadernetas de poupança tenham superado os depósitos em R$ 1,67 bilhão em fevereiro. Vale notar, porém, que as contas de poupança registraram em fevereiro a menor perda para o mês desde 2014. Na comparação com janeiro, o saldo negativo (saques menos depósitos) caiu 84% e, diante de igual mês de 2016, o recuo foi de 75%.

Esses dados indicam que a poupança se tornou mais atraente para os pequenos investidores, que constituem o grosso dos aplicadores nessa modalidade. Em boa parte, isso pode ser explicado pelo comportamento da inflação, que, nos 12 meses terminados em janeiro, ficou em 5,35%, com tendência de queda. Isso torna mais compensadora a aplicação em poupança, que teve rendimento anual de 8,27% até fevereiro.

A poupança continua perdendo para outras opções de investimento, particularmente as aplicações em renda fixa, as quais, balizadas pelos Certificados de Depósito Interbancário (CDI), podem ter rendimento anual de até 13,95%. Pelos números da Associação Brasileira dos Mercados Financeiro e de Capitais até 24 de fevereiro, as carteiras de renda fixa acusaram captação líquida de R$ 10,14 bilhões.

Os investidores estão mais atentos à conjuntura. Com a queda da cotação do dólar, os fundos cambiais tiveram saques líquidos de R$ 47,7 milhões. Com a alta da Bovespa, os fundos de ações apresentaram forte captação em fevereiro, que alcançou R$ 867 milhões (até 22/2). Com isso, foram revertidas as saídas no ano, deixando um superávit no primeiro bimestre de R$ 420 milhões. Os fundos multimercados, que também incluem ações, tiveram ingresso no mês de R$ 2,93 bilhões.

É sintomática também, quando se discute a reforma da Previdência, a melhora do desempenho dos fundos de previdência, que tiveram entrada líquida de R$ 3,02 bilhões em fevereiro, mostrando que mais brasileiros estão conscientes da necessidade de poupar para suplementar a aposentadoria no futuro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.