Investidor precisará de estratégia para lucrar na Bovespa, dizem especialistas

Em 2012 as ações devem oscilar tanto quanto neste ano, alertam analistas que participam até sexta-feira da 'Semana do Trader'

ROBERTA SCRIVANO, O Estado de S.Paulo

28 de novembro de 2011 | 03h05

O próximo ano deve ser mais um período difícil para a bolsa de valores brasileira. A opinião é do especialista Leandro Ruschel, da Leandro&Stormer, e compartilhada pelos norte-americanos Larry Williams e Oliver Velez, ambos investidores profissionais que multiplicaram seus patrimônios investindo em ações nos EUA. Com a estratégia certa, no entanto, ainda será possível ganhar na Bovespa em 2012, ecoam os três especialistas.

Willians e Velez desembarcaram neste fim de semana em São Paulo para participar da 'Semana do Trader', que começa hoje e vai até o dia 3, promovida pela Leandro&Stormer e a XP Investimentos. As inscrições para participar presencialmente ou pela internet podem ser feitas no site do evento: www.semanadotrader.com.br.

O intuito do evento, comentam, é justamente detalhar essas estratégias de negociação de ações para tempos altamente voláteis e com risco de queda nos índices, como deve ser 2012. Os americanos também contarão um pouco das suas experiências na bolsa dos Estados Unidos no decorrer do evento.

Perdas. A Bovespa acumula perda de 20,79% no ano até agora. E as afirmações de que a bolsa brasileira ainda deve sofrer mais perdas em 2012 são sobretudo por causa das turbulências internacionais, que prometem seguir abalando o mercado interno de ações.

"Também creio que a Bovespa passe uma boa parte de 2012 digerindo os ajustes econômicos pelos quais o Brasil está passando, como o controle da inflação e os recuos prometidos na taxa de juros", comenta Velez.

Ruschel concorda. E emenda dizendo que, sem dúvida, 2011 foi o ano mais difícil para os investidores em bolsa da última década. "Estamos passando por uma correção que tradicionalmente ocorre no final da década", diz. "Então, além dos problemas externos e os ajustes na economia nacional, também temos esse fator que é sazonal", completa. Os três especialistas salientam, porém, que a perspectiva de longo prazo para a Bovespa é muito boa.

Estratégias. Em momentos de recuo como agora, o importante é ter estratégias para tentar obter lucro com a negociação de ações. "No decorrer deste ano, quem souber negociar vai ter lucro", diz Velez.

Para Ruschel, as estratégias boas serão as com opções e aluguel de ações para a venda de papéis a descoberto, por exemplo. "É preciso conhecer as ferramentas do mercado. Ação não é para comprar e deixar lá na carteira esperando a lucratividade", diz Ruschel, que nitidamente gosta de correr risco nos investimentos em busca de ganhos mais ambiciosos.

O americano Velez, quando solicitado para fazer uma análise da bolsa para o próximo ano, é enfático ao dizer que "o local verdadeiramente doce do mercado estará no fim de 2012 e início de 2013".

Ele segue dizendo que "está muito otimista com o Brasil de 2013 em diante" e arrisca até indicar alguns setores que, sob sua ótica, têm mais chances de experimentar um crescimento robusto.

"O País está a dois anos e meio da Copa do Mundo. E, em seguida, haverá a Olimpíada. áreas como infraestrutura de telecomunicações e energia, por exemplo, são prováveis de experimentar esse crescimento forte nos anos subsequentes."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.