Investidor Profissional lança fundo de exportadoras

A alta das ações de empresas exportadoras motivou a abertura de alguns fundos de ações formados por papéis de empresas do setor. Exemplo disso é o IP-Exportadoras, administrado pela Investidor Profissional. O produto foi lançado no dia 19 de agosto e já acumula um patrimônio de R$ 3,5 milhões. O rendimento nominal acumulado no período é de 4%.De acordo com o gestor de renda variável da Investidor Profissional, Pedro Chermont, o objetivo do fundo é investir em ações de empresas exportadoras, cujos preços estejam abaixo do valor justo, de acordo com a análise fundamentalista - projeção do preço futuro, a partir do estudo do balanço e demonstração de resultados da empresa, informações setoriais e macroeconômicas.Além disso, para a escolha dos papéis que compõem a carteira, Chermont opta por empresas que geram receita tanto no mercado interno quanto no mercado externo. Dessa forma, segundo ele, o rendimento da carteira fica menos suscetível às oscilações do dólar. "É o caso da Coteminas, que exporta 50% de sua produção e vende para o mercado interno os 50% restantes. Com isso, ganha com dólar em alta, vendendo para o mercado externo e ganha também com a queda da cotação da moeda norte-americana, que favorece a atividade econômica interna", explica o gestor. Ele cita outra empresa com esse perfil, a Sadia.O fundo IP-Exportadora é formado por poucos papéis - entre seis a sete empresas. O investimento inicial é de R$ 100 mil e as movimentações a partir do primeiro depósito devem ser acima de R$ 20 mil. A taxa de administração do fundo é de 2% ao ano. Veja mais informações sobre as ações de empresas do setor exportador nos links abaixo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.