Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Investidor tenta forjar a própria morte e é preso nos EUA

Após ser descoberto, Marcus Schrenker fugiu e tentou se suicidar antes de ser preso pelos policiais federais

Associated Press,

15 de janeiro de 2009 | 13h47

A avalanche de problemas legais e pessoais enfrentada pelo investidor Marcus Schrenker, 38 anos, aumentou na quarta-feira com acusações do governo norte-americano de que ele fingiu um pedido de resgate e derrubou seu próprio avião em uma tentativa de enganar as autoridades. As acusações foram anunciadas na quarta enquanto Schrenker se recuperava em um hospital altamente vigiado após uma aparente tentativa de suicídio. Sua fuga de três dias da lei terminou na terça-feira à noite quando a Polícia Federal dos Estados Unidos o encontrou semiconsciente dentro de uma barraca em um acampamento na Flórida, murmurando a palavra "morra" enquanto o sangue escorria de um corte feito por ele mesmo em seu pulso esquerdo. Scott Wilson, porta-voz da Polícia Federal na Flórida, disse que Schrenker foi acusado por destruir o avião intencionalmente e fingir um pedido de resgate, que forçou a Guarda Costeira a realizar uma busca cara e desnecessária. Schrenker pode ter que pagar pelo menos US$ 5,1 mil pelos barcos e helicópteros utilizados na operação. "Com certeza é algo saído de Hollywood. Alguém saltar de paraquedas de um avião para evitar que fosse capturado como fugitivo", disse Wilson. Schrenker é esperado na corte na Flórida nesta semana antes de retornar ao Estado de Indiana, onde enfrentava o prospecto de uma falência, um divórcio e outros problemas antes mesmo da tentativa frustrada de forjar sua morte.  Continua um mistério como os investigadores localizaram Schrenker para terminar a busca interestadual depois que ele saltou de paraquedas sobre o Alabama. Mas ele ficou pouco tempo às escuras, abordando a polícia local em Alabama antes de subir uma moto que tinha escondido em um depósito. Ele até enviou um e-mail a um amigo, dizendo que toda a situação foi um mal-entendido.  Ele viajou com a moto até um acampamento na segunda à noite, afirmando aos proprietários que estava viajando pelo país com amigos. Schrenker não deu seu nome mas pagou em dinheiro pela estadia. No dia seguinte, a proprietária Caroline Hastings e seu marido, Troy, começaram a suspeitar de que algo estava errado quando Schrenker não apareceu para fazer o check out. "Você está bem? Pretende passar outra noite aqui?", perguntou Troy Hastings de fora da barranca de Schrenker. Ele respondeu que estava bem e prometeu pagar mais tarde. Mas não apareceu. Mais tarde, o casal estava fazendo o jantar quando o xerife ligou e perguntou se algo estranho estava acontecendo. Troy Hastings mencionou o homem, e o xerife perguntou se eeles poderiam identificá-lo. Caroline Hastings não precisou olhar muito para a foto para saber que era ele - e logo as autoridades chegaram ao acapamento para encontrá-lo sangrando e quase inconsciente. Schrenker deve enfrentar diversos processos nos próximos meses. Até agora, ele foi acusado de atuar como gerente financeiro em Indiana mesmo com sua licença expirada. Reguladores estaduais também prestaram queixa contra ele por ter cobrado US$ 250 mil em tarifas exorbitantes de sete investidores sem tê-los avisado quando assinaram o contrato.  Quando Schrenker saiu de Indiana, ele já enfrentava ações que valiam cerca de US$ 9 milhões. E de acordo com uma carta que ele escreveu no começo de dezembro, ele estava pretendendo declarar falência. "É preciso ser conhecido que eu estou financeiramente quebrado", escreveu. "Eu pretendo decretar a falência em 2009 se minhas condições continuarem a se deteriorar." As coisas pioraram e os investigadores dizem que Schrenker tentou arrumar outra saída forjando sua morte.

Tudo o que sabemos sobre:
Crise Financeira

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.