Investidores abandonam apostas no real e compram US$ 20 bilhões

Para o Banco Central, troca de posições é a responsável pela recente disparada das cotações do dólar

FERNANDO NAKAGAWA / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

22 de setembro de 2011 | 03h08

Medidas para reduzir a especulação no câmbio e a piora da crise levaram investidores a mudar de estratégia. Nos últimos dias, eles compraram um total aproximado de US$ 20 bilhões apostando na alta da moeda americana e abandonando as apostas no real valorizado ante o dólar.

Desses, cerca de US$ 13 bilhões foram adquiridos no mercado futuro e US$ 7 bilhões no mercado à vista. A troca de posição, reconhece o Banco Central, é a responsável pela recente disparada das cotações.

Para evitar uma alta ainda maior, o Banco Central decidiu tirar o time de campo: não compra dólares no mercado há uma semana e anunciou ontem que vai reduzir a atuação no mercado futuro. A avaliação interna no Banco Central é que o dólar deve se acomodar nos próximos dias porque o espaço para a alta estaria "perto do fim".

A cotação acima de R$ 1,85 provocou reações rápidas no Banco Central. Logo após o almoço, às 14h, a instituição avisou que desistira de comprar US$ 1,98 bilhão no mercado futuro nos próximos dias. A operação seria necessária para renovar contratos de swap cambial reverso - que equivalem à compra de dólares - que vencem em outubro.

Fonte da equipe econômica diz que a decisão foi tomada porque adquirir dólares no mercado futuro provocaria mais desequilíbrio e consequente alta extra das cotações. Segundo a fonte, o BC reconhece que é melhor não adicionar pressão em um mercado que sofre com um verdadeiro "gargalo" nos últimos dias.

Esse estrangulamento aconteceu após medidas que encareceram a aposta de valorização do real e o agravamento da crise. Nesse ambiente, sumiram os vendedores da moeda e passaram a prevalecer apenas os compradores de dólar.

Há 45 dias, as apostas no real forte no mercado futuro somavam US$ 22 bilhões - o que economistas chamam de posição "vendida". Mas, com a mudança das condições do mercado, esses investidores passaram a comprar a moeda para anular a aposta no real e por acreditar que o dólar ficaria cada vez mais caro. Com isso, a aposta no real no futuro caiu para US$ 8,6 bilhões. No mercado à vista - aquele com dinheiro vivo -, bancos já inverteram a posição e estão "comprados" em US$ 1,7 bilhão.

Ou seja, investidores reduziram drasticamente a crença no real forte no mercado futuro e já apostam quase US$ 2 bilhões no dólar à vista. Essa troca fez com que esses mesmos investidores comprassem US$ 13 bilhões no mercado futuro e mais de US$ 7 bilhões à vista nas últimas semanas. Para o BC, é por isso que as cotações dispararam.

Estabilização. Diante da atual menor da posição "vendida" no futuro, existe o entendimento no BC de que a tendência de alta do dólar é transitória e estaria perto do fim. "O ajuste foi forte e o espaço para continuar não é tão grande. Não há motivos para continuar e a moeda deve se estabilizar em alguns dias", diz a fonte. Além disso, com a alta das cotações, há possibilidade de chegar a um ponto em que comprar dólar no mercado futuro pode não ser tão vantajoso.

Outro motivo seria o estoque de dólares de exportadores no exterior. Não há cálculos precisos, mas estimativas da equipe econômica mostram que poderia haver entre US$ 20 bilhões e US$ 80 bilhões nessas condições. Parte desses recursos poderiam entrar no País atraídos pela cotação mais favorável.

O economista da Tendências Consultoria, Silvio Campos Neto, diz que essa leitura do BC tem fundamento teórico, mas não concorda que a alta estaria perto do fim. "A racionalidade não funciona muito em um mercado anômalo como o atual. É muito mais difícil fazer previsões."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.