Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Investidores ampliam resgates nos fundos no final de agosto

Nos últimos sete dias úteis do mês, os resgates cresceram e a diferença de captação saltou para R$ 5,8 bi

Nathália Ferreira, da Agência Estado,

10 de setembro de 2007 | 17h51

Os investidores aumentaram as retiradas de recursos dos fundos de investimento nos últimos dias de agosto. Até o dia 22, um relatório parcial da Associação Nacional dos Bancos de Investimento (Anbid) mostrava que os resgates superavam os depósitos em R$ 274 milhões. Nos últimos sete dias úteis do mês, no entanto, os resgates cresceram e a diferença de captação (entrada menos saída) saltou para R$ 5,8 bilhões. Essa maior retirada de recursos foi na contramão do mercado e aconteceu numa semana de mais calmaria, em que a Bolsa subiu em seis dos sete pregões. Segundo relatório da Anbid, os maiores saques aconteceram nos fundos de Renda Fixa (que aposta na queda de juros), cujas carteiras fecharam o mês com saldo negativo de R$ 7,9 bilhões. No ano, porém, os depósitos nesses fundos superam os resgates em R$ 14 bilhões, e o patrimônio líquido é o maior da indústria de fundos (R$ 357,7 bilhões). A mudança no comportamento das projeções futuras de juro fez muitos investidores migrarem para os fundos Referenciados DI, que acompanham a trajetória da Selic. Esses fundos tiveram a maior captação líquida da indústria, com depósitos superando resgates em R$ 3 bilhões. Na opinião da Anbid, esses fundos serviram de porto seguro para os investidores, uma vez que preservaram os ganhos obtidos ao longo do ano. No acumulado janeiro a agosto, porém, os fundos Referenciados DI registram perda de R$ 10,8 bilhões. O destaque positivo de agosto foram os Fundos de Ações. Embora os mercados tenham passado por forte oscilação, esses fundos encerraram o mês com aplicações líquidas de R$ 867,5 milhões, o segundo melhor resultado da indústria. Enquanto os resgates nos fundos de ações somaram R$ 4,02 bilhões, os depósitos chegaram a R$ 4,89 bilhões. No ano, as aplicações em fundos de ações superam as retiradas em R$ 16 bilhões, também o segundo melhor resultado da indústria. O melhor saldo de captação líquida (entrada menos saída) no ano está nos fundos Multimercados, em que as aplicações superam os resgates em R$ 23,9 bilhões. Já no mês de agosto, com a turbulência nos mercados, os saques nesses fundos foram maiores que os depósitos em R$ 791 milhões. No mundo A indústria de fundos de investimentos do País ocupa a 10ª posição no ranking mundial, segundo dados da Anbid referentes ao primeiro trimestre deste ano. O Brasil soma US$ 459,2 bilhões em patrimônio e detém 83% do mercado de fundos da América Latina. Em primeiro lugar na lista estão os fundos dos Estados Unidos, com patrimônio de US$ 10,7 trilhões. Na segunda posição, mas já bem distante dos EUA, está a indústria de fundos de Luxemburgo (US$ 2,3 trilhões), seguida da França (US$ 1,8 trilhão).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.