Investidores italianos terão visto de residência no País

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou, nesta quarta-feira durante discurso no Fórum Brasil-Itália, que os empresários italianos que investirem no Brasil terão visto de residência no País. Posteriormente, o embaixador do Brasil em Roma, Adhemar Bahadian, explicou que, por enquanto, o que está sendo estudado pelo governo brasileiro é que esses vistos sejam concedidos para empresários que façam investimentos acima de US$ 50 mil.ProvisõesO ministro para Atividades Produtivas da Itália, Claudio Scajola informou, por sua vez, disse que o Banco de Itália (equivalente ao Banco Central brasileiro) decidiu que a partir de junho deste ano as instituições financeiras do país que fizerem empréstimos aos bancos brasileiros não precisarão mais fazer provisão desses valores. Até então, o porcentual de provisão era de 15%. O ministro também participa do fórum empresarial, que acontece na Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp). O presidente da Fiat mundial, Luca di Montezemolo - que também preside a Confederação das Indústrias Italianas - completou a informação, dizendo que a medida significa uma melhora no grau de risco que os italianos atribuem ao Brasil. Quanto mais alto o risco, maior o porcentual de provisão para as operações de crédito internacionais. "O risco que a Itália atribui ao Brasil mostra que o risco de investimentos praticamente deixa de existir", afirmou.InvestimentoO presidente da Fiat do Brasil, Cledorvino Belini, disse, nesta quarta-feira, que o Brasil é muito maior do que uma única pessoa, referindo-se à saída de Antônio Palocci do Ministério da Fazenda. O empresário afirmou que o Brasil tem instituições sólidas e que a economia brasileira vai fluir independentemente do momento político. Na verdade, ressaltou, o momento é "muito bom" para atrair investimentos estrangeiros ao Brasil. "O País está no momento certo e continuará nessa trilha: redução de juros e alavancagem do crescimento. É a hora de o País dar um salto", afirmou. Belini participa do Fórum Empresarial Brasil-Itália e almoçou com o presidente Luís Inácio Lula da Silva e outros 80 empresários, além de autoridades brasileiras e italianas.O empresário ressaltou que o Brasil precisa exportar e importar mais para gerar crescimento. O País tem dado demonstração clara de que o câmbio é como um pêndulo: um dia está lá em cima e outro lá embaixo. "Os investimentos não dependem disso. O importante é olharmos no longo prazo", disse. Para Belini, à medida que os juros diminuírem e os investimentos aumentarem, a tendência é de equilíbrio na balança comercial, tornando o dólar mais competitivo.MantegaSobre o ministro Guido Mantega, os empresários esperam um aumento na velocidade da redução dos juros. "No entanto, o mais importante é controlar a inflação", ressaltou. Belini defendeu a realização de uma reforma fiscal que fortaleça o mercado interno. "A carga tributária é muito alta", finalizou. Pelo menos mil empresários participaram do Fórum Empresarial Brasil-Itália, cuja cerimônia de abertura contou com a presença do presidente Lula.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.