Investidores não esperam novos cortes de juros em 2004, revela BC

O mercado financeiro reforçou sua aposta de que o Comitê de Política Monetária (Copom) não fará mais nenhum corte na taxa Selic, a taxa básica de juros da economia, em 2004. De acordo com pesquisa semanal do Banco Central divulgada hoje, as instituições financeiras e empresas ouvidas pelo BC elevaram de 15,75% para 16% ao ano a projeção para o patamar em que a Selic deverá estar ao final do ano. Esse patamar é o mesmo em que a taxa básica de juros está desde abril.Se para o mês de dezembro a projeção é de 16%, para agosto o quadro não é diferente. Os analistas mantiveram a aposta de que não haverá mudanças na meta da taxa Selic na próxima reunião do Copom, prevista para a semana que vem.Para o final de 2005, os analistas elevaram a projeção da Selic de 14,13% para 14,25% ao ano. Considerando a manutenção da taxa ao longo dos próximos meses de 2004, a estimativa para 2005 embute um corte de apenas 1,75 ponto porcentual na meta da taxa Selic ao longo de todo o ano que vem.Câmbio estávelO mercado financeiro continua apostando num comportamento pouco volátil para a taxa de câmbio. De acordo com a pesquisa semanal do BC, a aposta para a taxa de câmbio de agosto manteve-se, pela segunda semana, em R$ 3,0500 por dólar. Para o final de 2004, os agentes ouvidos também mantiveram a estimativa de que a moeda norte-americana fechará dezembro cotada a R$ 3,1000. Também não foi verificada nenhuma mudança na projeção para o final de 2005, apontada em R$ 3,2500.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.