Investigação de lavagem de dinheiro faz Telecom Italia adiar balanço

Resultados que seriam divulgados nesta quinta-feira agora só serão conhecidos daqui um mês

Marcílio Souza, da Agência Estado,

25 de fevereiro de 2010 | 09h54

As ações da Telecom Italia caíam 3% na bolsa de Milão nesta manhã, após a empresa ser obrigada a atrasar em um mês a divulgação de seus resultados financeiros de 2009. O grupo também vai adiar a atualização de seus planos estratégicos por causa de uma investigação em andamento em sua unidade de cabos.

 

As autoridades italianas decretaram na terça-feira a prisão de 56 pessoas acusadas de lavar dinheiro ilegalmente obtido por meio de contas fictícias de serviço de telefonia internacional no valor de mais de 2 bilhões de euros (US$ 2,7 bilhões). Os investigadores acreditam que essas contas falsas tenham sido emitidas com o conhecimento dos executivos da unidade Sparkle, da Telecom Italia, e da segunda maior operadora de telecomunicações do país, a Fastweb.

 

As autoridades confiscaram 300 milhões de euros em dinheiro e empréstimos da Sparkle na quarta-feira, como parte da investigação, obrigando a unidade e sua controladora a adiar a aprovação da contabilidade anual.

 

Os resultados da Telecom Italia referentes ao ano passado deveriam ser divulgados nesta quinta-feira à tarde, e a atualização de seus planos industriais seria anunciada na sexta-feira. A companhia disse que a publicação tanto do balanço quanto do plano será adiada até a próxima reunião do conselho, em 25 de março.

 

A Telecom Italia confirmou que os fatos sob investigação já eram conhecidos pela companhia e estavam sujeitos a exames e à auditoria interna. A empresa tem afirmado que é uma "parte prejudicada" no caso. O grupo, que vinha tentando vender a Sparkle como parte de seu plano de diminuir sua dívida de 35,5 bilhões de euros, vai promover uma teleconferência com analistas no início da tarde desta quinta-feira. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.