carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Investigação desafia Lagarde rumo ao FMI

Todos os líderes do G-8 apoiam a ministra francesa das Finanças, Christine Lagarde, para a direção-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), disse ontem o ministro do Exterior francês Alain Juppe. Ao mesmo tempo, Lagarde criticou a possibilidade de uma investigação sobre o seu papel num caso legal de 2008.

, O Estado de S.Paulo

30 de maio de 2011 | 00h00

O cargo mais alto do FMI está vago desde que Dominique Strauss-Kahn renunciou depois de acusado de tentativa de estupro, acusação que ele promete combater.

Os Estados Unidos neste domingo mantiveram a sua política de não anunciar apoio a um candidato específico. "Não irei além do que eu já disse. Nós apoiamos o processo que está sendo montado pelo FMI para encontrar um diretor, e apoiamos um processo que produza o melhor candidato possível", disse Jay Carney, porta-voz do presidente Barack Obama.

Obstáculo. O principal obstáculo no caminho de Lagarde é a possibilidade de um inquérito sobre o seu papel no acordo legal que em 2008 envolveu o pagamento de US$ 408,2 milhões ao empresário Bernard Tapie, um aliado do presidente francês, Nicolas Sarkozy.

Os opositores do Partido Socialista acusam Lagarde de abuso de poder, por ela ter autorizado o pagamento.

Lagarde, que viajou para o Brasil ontem como parte da sua campanha ao FMI, questionou a base legal e factual do pedido de um promotor para uma investigação formal sobre o seu papel no caso Tapie.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.