Investimento deve subir no fim do trimestre, diz Coutinho

Presidente do BNDES prevê que nível de utilização da capacidade será recomposto com os investimentos

JACQUELINE FARID, Agencia Estado

22 de setembro de 2009 | 11h59

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, afirmou nesta terça-feira, 22, que os investimentos na indústria de transformação devem aumentar a partir do final deste terceiro trimestre, quando haverá maior utilização do nível de capacidade instalada no setor produtivo. "Neste trimestre, provavelmente estaremos próximos de recompor o nível de utilização da capacidade. Provavelmente no final deste trimestre, teremos um nível de capacidade produtiva capaz de induzir os investimentos", disse Coutinho, durante palestra na abertura do seminário "A hora e a vez da política de desenvolvimento produtivo", realizado na sede do BNDES.

Para ele, "a economia brasileira já está preparada para voltar a pensar em políticas de desenvolvimento de forma preventiva, afirmativa". O presidente do BNDES ressaltou que, quando a crise chegou ao Brasil, em setembro do ano passado, a taxa de investimento estava em elevação. "Foi doloroso para nós e para mim a interrupção do ciclo de crescimento que a economia brasileira vinha ostentando, sobretudo de ascensão da taxa de investimento", disse.

Coutinho defendeu ainda a inovação tecnológica em um momento de retomada do crescimento. "Os investimentos precisam liderar o crescimento, mas precisamos ir além do investimento em criação de capacidade para produtos e serviços já existentes", afirmou. "A inovação se coloca como ingrediente essencial da recuperação da economia do Brasil e mundial." Segundo o presidente do BNDES, o mundo viverá a partir de agora uma concorrência comercial mais acirrada. Por isso, o fato de a economia brasileira "poder lançar-se de volta ao crescimento antes das outras" traz oportunidades interessantes através da inovação.

Tudo o que sabemos sobre:
investimentosBNDESCoutinho

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.