André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Investimento Direto no País soma US$ 8,4 bilhões em fevereiro

Resultado ficou acima das expectativas dos economistas consultados pelo Projeções Broadcast

Fabrício de Castro e Eduardo Rodrigues, O Estado de S.Paulo

25 de março de 2019 | 11h14

Os Investimentos Diretos no País (IDP) somaram US$ 8,400 bilhões em fevereiro, informou nesta segunda-feira, 25, o Banco Central. O resultado ficou acima das estimativas apuradas pelo Projeções Broadcast, que iam de US$ 5,000 bilhões a US$ 8,000 bilhões, com mediana de US$ 7,000 bilhões. Pelos cálculos do Banco Central, o IDP de fevereiro indicaria entrada de US$ 7,0 bilhões.

No acumulado do ano até fevereiro, o ingresso de investimentos estrangeiros destinados ao setor produtivo somou US$ 14,266 bilhões. A estimativa do BC para este ano, atualizada em dezembro, é de IDP de US$ 90,0 bilhões em 2019.

No acumulado dos 12 meses até fevereiro deste ano, o saldo de investimento estrangeiro ficou em US$ 89,510 bilhões, o que representa 4,77% do Produto Interno Bruto (PIB).

Déficit em conta corrente soma US$ 1,134 bilhão

Após o déficit de US$ 6,548 bilhões em janeiro, o resultado das transações correntes ficou negativo em fevereiro deste ano, em US$ 1,134 bilhão, informou o BC. A instituição projetava para o mês passado déficit de US$ 2,2 bilhões na conta corrente.

O número do mês passado ficou dentro do levantamento realizado pelo Projeções Broadcast, que tinha intervalo de déficit de US$ 4,669 bilhões a déficit de US$ 500 milhões (mediana negativa de US$ 1,400 bilhão). O déficit do mês passado representa o melhor resultado para fevereiro desde 2017 (superávit de US$ 341,8 milhões).

A balança comercial registrou saldo positivo de US$ 3,161 bilhões em fevereiro, enquanto a conta de serviços ficou negativa em US$ 2,058 bilhões. A conta de renda primária também ficou deficitária, em US$ 2,409 bilhões. No caso da conta financeira, o resultado ficou negativo em US$ 651 milhões.

No acumulado do ano até fevereiro, o rombo nas contas externas soma US$ 7,678 bilhões. A estimativa do BC, atualizada no Relatório Trimestral de Inflação (RTI) de dezembro, é de déficit em conta corrente de US$ 35,6 bilhões em 2019.

Já nos 12 meses até fevereiro deste ano, o saldo das transações correntes está negativo em US$ 13,852 bilhões, o que representa 0,74% do Produto Interno Bruto (PIB). Este porcentual de déficit ante o PIB é o menor desde abril de 2018 (0,62%). Em maio de 2018, o porcentual havia sido o mesmo (0,74%).

Investimento em ações é negativo; em renda fixa é positivo

O investimento estrangeiro em ações brasileiras ficou negativo em US$ 1,810 bilhão em fevereiro. Em igual mês do ano passado, o resultado havia sido positivo em US$ 31 milhões. No acumulado do ano até fevereiro, o saldo ficou positivo em US$ 996 milhões. Pelos cálculos do BC, o saldo das operações de investidores estrangeiros no mercado de ações será positivo em 5,0 bilhões em 2019. Estas projeções consideram as ações negociadas em bolsas brasileiras e no exterior e os fundos.

O investimento em fundos de investimentos no Brasil ficou positivo em US$ 303 milhões em fevereiro. No mesmo mês do ano passado, ele havia sido positivo em US$ 35 milhões. No acumulado do ano até fevereiro, houve aportes de US$ 998 milhões dos fundos de investimentos.

Já o saldo de investimento estrangeiro em títulos de renda fixa negociados no País ficou positivo em US$ 5,991 bilhões em fevereiro. No mesmo mês do ano passado, havia ficado positivo em US$ 450 milhões.

No ano até fevereiro, o saldo em renda fixa ficou positivo em US$ 9,051 bilhões. Para 2019, a estimativa do BC é de saldo neutro nas operações com renda fixa.

Brasileiros gastam mais fora do que estrangeiros no Brasil

A conta de viagens internacionais voltou a registrar déficit em fevereiro, informou também o BC. No mês passado, quando o dólar avançou 2,37% ante o real (considerando a Ptax), a diferença entre o que os brasileiros gastaram lá fora e o que os estrangeiros desembolsaram no Brasil foi de um saldo negativo de US$ 761 milhões. Em igual mês de 2018, o déficit nessa conta foi de US$ 794 milhões.

O desempenho da conta de viagens internacionais foi determinado por despesas de brasileiros no exterior, que somaram US$ 1,302 bilhão em fevereiro. Já o gasto dos estrangeiros em passeio pelo Brasil ficou em US$ 541 milhões no mês passado.

No ano até fevereiro, o saldo líquido dessa conta ficou negativo em US$ 1,747 bilhão. Para 2019, o BC estima um déficit de US$ 17,0 bilhões.

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.