carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Investimento é mantido, mas cautela aumenta, aponta Fiesp

O desempenho da economia no primeiro trimestre do ano elevou o nível de cautela entre os empresários paulistas. De acordo com a pesquisa "Expectativas dos Setores Industriais para 2004", apurado pela Fiesp, 34% dos 72 sindicatos ouvidos vão rever para cima seus planos de investimento para este ano. Em dezembro do ano passado, eram 58%. "Não se trata de pessimismo, mas de cautela", afirma o diretor do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos da entidade, Claudio Vaz. Vaz explica que os planos de investimentos do empresariado paulista estão mantidos. O que mudou é que uma parte considerável deles decidiu que não revisará seus projetos com vistas a investir mais do que havia previsto no momento da elaboração do plano.Isso porque a ortodoxia da política monetária nos dois primeiros meses do ano, que manteve os juros básicos inalterados em 16,5% ao ano, somada à política de geração de emprego e renda, que não ainda não se efetivaram (investimentos em infra-estrutura, saneamento e habitação, por exemplo), esfriou os ânimos do setor produtivo em relação à retomada do mercado interno. "Não significa que ele vai deixar de investir, até porque as exportações estão firmes. E a expectativa de queda nos juros e implementação da agenda positiva ainda persiste. O aumento da cautela do empresário aconteceu porque a expectativa para o primeiro trimestre não se concretizou", reiterou.RiscoDe acordo com a pesquisa, o maior risco para a não efetivação dos planos de investimentos é a incerteza quanto à evolução da demanda doméstica, seguido por custo de financiamentos e escassez de recursos financeiros próprios.

Agencia Estado,

06 de abril de 2004 | 15h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.