Investimento estrangeiro no País em 2008 é o maior em 61 anos

Fluxo de IED no País chega a US$ 45,060 bilhões no ano passado, o maior da série histórica do Banco Central

Fernando Nakagawa e Fabio Graner, da Agência Estado,

26 de janeiro de 2009 | 10h55

Os Investimentos Estrangeiros Diretos (IED) no Brasil bateram novo recorde histórico em 2008, apesar do agravamento da crise financeira mundial a partir de setembro. O ingresso de IED somou US$ 45,060 bilhões em 2008, o maior nível desde o início da série histórica do Banco Central, em 1947. O recorde anterior era de 2007, quando o ingresso totalizou US$ 34,585 bilhões.   Veja também: País fecha 2008 com déficit de US$ 28,3 bi na conta corrente Desemprego, a terceira fase da crise financeira global De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise    Segundo o BC, o valor de IED em 2008 correspondeu a 2,84% do PIB. Em 2007, esse ingresso atingiu 2,59% do PIB. O chefe do Departamento Econômico do BC, Altamir Lopes, destacou o recorde. "A trajetória do IED mostra que a perspectiva das empresas que investem no Brasil é de médio e longo prazos e revelam que há confiança na melhora das condições econômicas do futuro", afirmou.   Dezembro   Em dezembro, o IED somou US$ 8,117 bilhões. O valor mensal é quase dez vezes superior ao registrado em dezembro de 2007, quando o ingresso somou US$ 886 milhões. O resultado é mais que o dobro do teto das estimativas colhidas pelo AE Projeções, que iam de US$ 3 bilhões a US$ 4 bilhões.   O forte incremento no ingresso de IED em dezembro foi gerado por uma grande operação no segmento de mineração, segundo Altamir. No mês passado, a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) vendeu 40% da subsidiária Namisa para uma companhia formada por acionistas japoneses. A venda somou US$ 3,08 bilhões, segundo comunicado da CSN enviado à Bolsa de Valores de São Paulo.   Altamir observou que esses recursos ingressaram no País pelo negócio, mas saíram em seguida em um investimento da mesma companhia no exterior. Isso fez com que o Investimento Brasileiro Direto (IBD) somasse US$ 3,148 bilhões em dezembro.   Apesar de destacar a operação no segmento de mineração, o chefe do departamento econômico observou que o IED teve "números surpreendentes" em dezembro. Segundo ele, a entrada de US$ 8,117 bilhões foi o segundo melhor resultado mensal da série histórica desde 1947, perdendo apenas para julho de 2007, quando o IED somou US$ 10,3 bilhões.   Ações   Os investimentos estrangeiros em ações tiveram saída de US$ 911 milhões em dezembro, de acordo com os dados divulgados pelo Banco Central. Em dezembro de 2007, o saldo havia ficado positivo em US$ 7,513 bilhões. No acumulado do ano, o saldo ficou negativo em US$ 7,565 bilhões. A saída de investimentos em ações negociadas no País somou US$ 10,850 bilhões, enquanto que as ações negociadas no exterior (ADRs) registraram saldo positivo de US$ 3,285 bilhões.   As aplicações em títulos de renda fixa tiveram saldo negativo de US$ 4,464 bilhões em dezembro, ante saída de US$ 344 milhões em dezembro de 2007. No acumulado do ano, o saldo é positivo em US$ 6,798 bilhões, bem abaixo do ingresso líquido de US$ 21,887 bilhões em 2007.

Tudo o que sabemos sobre:
Crise FinanceiraInvestimentos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.