finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Investimento externo atinge US$ 31,2 bi em 10 meses

O investimento estrangeiro direto (IED) no Brasil somou, em outubro, US$ 3,188 bilhões, conforme dados divulgados hoje pelo Banco Central. O valor ficou abaixo da projeção do próprio Banco Central, que previa ingresso de investimento externo de US$ 3,3 bilhões. No acumulado de janeiro a outubro deste ano, o IED soma US$ 31,2 bilhões, o correspondente a 2,94% do Produto Interno Bruto (PIB). Na mesma base de comparação, o IED somou US$ 13,628 bilhões entre janeiro e outubro de 2006, o equivalente a 1,54% do PIB. No período acumulado de 12 meses encerrado em outubro, o IED totaliza US$ 36,355 bilhões, o que representa 2,93% do PIB. O resultado é maior que o registrado no intervalo de 12 meses encerrado em setembro, que era de US$ 34,889 bilhões, ou 2,85% do PIB. Os investimentos de brasileiros no exterior somaram US$ 4,147 bilhões em outubro, resultando no ano em uma saída de US$ 812 milhões. O valor representa uma inversão do resultado até o mês anterior. Até setembro, o acumulado do investimento brasileiro no exterior registrava um resultado líquido de US$ 3,335 bilhões. O resultado foi invertido em outubro, com o investimento mais acentuado do brasileiro no exterior. DólarO Banco Central comprou, no mercado interbancário de câmbio, US$ 3,6 bilhões em outubro. No acumulado de janeiro a outubro, as intervenções do BC no câmbio somaram US$ 70,6 bilhões. Com isso, a projeção das reservas brutas subiu de US$ 164,545 bilhões para US$ 168,810 bilhões. Para 2008, a previsão subiu de US$ 171,321 bilhões para US$ 175,587 bilhões. As projeções de reservas levam em conta apenas as compras já realizadas pelo BC junto ao mercado. RemessasAs remessas de lucros e dividendos feitas ao exterior pelas empresas multinacionais em outubro somaram US$ 2,201 bilhões, de acordo com os dados do Banco Central. Em outubro do ano passado, as remessas haviam ficado em US$ 902 milhões. No acumulado de janeiro a outubro, as remessas somam US$ 15,984 bilhões, 27,77% superior ao resultado verificado em igual período de 2006, de US$ 12,510 bilhões. As despesas líquidas com juros em outubro totalizaram US$ 331 milhões, menos da metade dos US$ 840 milhões registrados em outubro de 2006. No ano, as despesas líquidas com juros somam US$ 6,443 bilhões, 32,16% abaixo dos US$ 9,494 bilhões verificados em outubro do ano passado. As receitas com juros, por sua vez, passaram de US$ 4,207 bilhões de janeiro a outubro de 2006 para US$ 7,612 bilhões em igual período deste ano. Conta correnteA conta corrente do balanço de pagamentos registrou em outubro déficit de US$ 42 milhões, segundo o Banco Central. O resultado foi melhor que a previsão do próprio BC, que esperava um déficit de US$ 500 milhões no mês. O resultado de outubro do balanço de pagamentos foi determinado por um superávit de US$ 3,439 bilhões na balança comercial, déficit de US$ 3,785 bilhões na conta de serviços e renda e transferências unilaterais de US$ 304 milhões.No acumulado do ano, a conta corrente registra saldo positivo de US$ 5,597 bilhões, o equivalente a 0,53% do PIB. No período de 12 meses encerrados em outubro, a conta corrente apresenta superávit de US$ 7,430 bilhões, o que equivalente a 0,60% do PIB.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.