Investimento externo direto em maio é o menor desde 1994

Apesar do superávit recorde da conta de transações correntes (veja mais informações no link abaixo), os investimentos estrangeiros diretos no País voltaram a cair, somando em maio apenas US$ 207 milhões. Trata-se do menor valor registrado em meses de maio desde 1994, informou hoje o Banco Central (BC).Em maio do ano passado, esses investimentos tinham sido de US$ 531 milhões. Em abril desse ano, o ingresso foi de US$ 381 milhões.De acordo com o BC, de janeiro a maio o ingresso de investimentos estrangeiros diretos soma US$ 3,307 bilhões, ante US$ 3,315 bilhões no mesmo período do ano passado. O chefe do Departamento Econômico (Depec) do Banco Central, Altamir Lopes, reconheceu que o saldo acumulado de investimentos estrangeiros diretos esse ano até maio está "baixo".ExplicaçõesAltamir Lopes informou que uma operação de retorno para o exterior de empréstimo intercompanhia de uma empresa do setor agropecuário influenciou o baixo resultado do ingresso de investimentos estrangeiros diretos no País em maio. Segundo Altamir Lopes, essa operação de retorno somou US$ 351 milhões e foi feita para os Estados Unidos. A operação ocorreu no final do mês e não era prevista pelo BC. Por isso, explicou, o BC estimou erroneamente que o ingresso de investimentos seria de US$ 600 milhões em maio.Perspectivas O ingresso de investimentos estrangeiros diretos no País em junho até hoje soma US$ 515 milhões. Altamir Lopes previu que esses investimentos somarão cerca de US$ 700 milhões até o final do mês. Ele aposta que o ingresso de investimentos estrangeiros diretos no País voltará a fluir com "mais força" a partir do segundo semestre desse ano.Segundo ele, "boas indicações e anúncios importantes" sustentam essa avaliação. Por isso, o BC reduziu em apenas US$ 1 bilhão (US$ 13 bilhões para US$ 12 bilhões) a sua projeção de investimento estrangeiro direto em 2004.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.