Investimento global em petróleo é insuficiente, diz AIE

Para o presidente da agência internacional, preço recorde é muito elevado para produtores e consumidores

REGINA CARDEAL, Agencia Estado

26 de maio de 2008 | 13h30

O preço recorde do petróleo é muito elevado para produtores e para consumidores e está sendo em parte causado pelo investimento insuficiente e mal alocado para aumentar a oferta mundial do produto, disse o economista-chefe da Agência Internacional de Energia (AIE), Fatih Birol, em entrevista à rede de notícias CNBC Europa. A AIE, com sede em Paris, monitora o mercado de energia sobretudo dos países industrializados.   Veja também: Preço do petróleo em alta  Opep prevê que preço do petróleo continuará subindo Preço do petróleo sobe com notícia de ataques na Nigéria Birol afirmou que os preços do petróleo, que superaram US$ 135 o barril na semana passada, representam uma "má notícia" para produtores e consumidores. "Os preços que temos são bastante altos, de fato, muito altos - muito altos tanto para produtores quanto para consumidores", afirmou. Os investimentos no setor de petróleo para aumentar a oferta mundial de petróleo não acompanharam a disparada do preço, o que está criando "uma crescente percepção de que, no médio e no longo prazo, a demanda será muito mais forte do que a oferta", disse."Não temos visto uma resposta importante aos preços altos do lado da oferta - sim, há algum aumento, mas a resposta da oferta não é tão forte quando esperávamos", disse. O enfraquecimento do dólar e o custo da inflação no setor de petróleo reduziu o valor dos investimentos em novos projetos e "ainda não sabemos o que estes investimentos representarão para o mercado em termos de barris", disse Birol.Ele também afirmou que o setor não está investindo o suficiente para responder ao declínio da produção nos campos mais antigos. "Precisamos investir não só para atender o crescimento da demanda, precisamos investir para compensar o declínio dos campos mais antigos", acrescentou, destacando que o investimento destinado à manutenção destes campos é "muito mais importante".Os países consumidores também têm de adotar medidas para conter a demanda com a melhora da eficiência do uso de combustível, especialmente dos carros, e suspensão dos subsídios ao combustível, afirmou. Birol disse que 80% do crescimento da demanda por petróleo no mundo podem ser atribuídos a países onde os preços do combustível é subsidiado, o que protege os consumidores do impacto dos preços altos e desencoraja a busca da eficiência.Os países produtores precisam fazer mais investimentos para ampliar a oferta até um ponto em que os mercados possam se sentir "confortáveis de que estes projetos e a expansão da capacidade" vão manter o passo com a demanda, disse. A combinação do forte crescimento da demanda e da perspectiva de oferta limitada Ciam "terreno para a especulação", disse. As informações são da agência Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
PetróleoAIE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.