Investimento na concessão de rodovias incluirá Marginal

O destino dos investimentos de R$ 9 bilhões que serão realizados no segundo lote de rodovias estaduais paulistas - Dom Pedro I, Ayrton Senna/Carvalho Pinto, Raposo Tavares, Marechal Rondon Leste e Marechal Rondon Oeste - concedidas à iniciativa privada já foi definido pelo governo de São Paulo. Até a Marginal Tietê está incluída na lista dos locais que receberão obras, que poderão ser de duplicação, ampliação ou manutenção."Não é apenas investimento, mas também a manutenção posterior, que é a coisa mais importante que tem. Investir não é difícil. O difícil, quando se está no governo, é manter", disse o governador, defendendo o modelo misto utilizado pelo governo paulista para a concessão de rodovias. O contrato prevê o pagamento de uma outorga fixa, disputa em leilão pela menor tarifa e investimentos na ampliação, duplicação ou manutenção das rodovias concedidas e de vicinais que dão acesso a elas.O complexo Ayrton Senna/Carvalho Pinto receberá R$ 790 milhões ao longo de seus 133 quilômetros. As principais obras serão realizadas na Marginal Tietê, que terá melhorias no trecho entre a Rodovia Presidente Dutra e a Ayrton Senna. Serra ressaltou que, embora a Marginal Tietê receba investimentos, a empresa vencedora não fará a cobrança de pedágio no local. O bairro dos Pimentas, em Guarulhos, às margens da rodovia, receberá uma marginal, e o viaduto que dá acesso ao bairro será ampliado. Além disso, na Rodovia Helio Smidt (SP-019), uma terceira faixa será construída para dar acesso exclusivo ao Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, entre os quilômetros 45 e 46.Os 297 quilômetros da Rodovia Dom Pedro I receberão R$ 2,6 bilhões em investimentos por parte do vencedor do leilão de concessão da rodovia. A estrada ficará com a maior parte dos R$ 9 bilhões destinados aos cinco lotes. Entre as principais obras, estão a duplicação da Rodovia Constâncio Cintra (SP-360), que liga Jundiaí a Itatiba, e o prolongamento do Anel Viário de Campinas até a Rodovia dos Bandeirantes e o Aeroporto de Viracopos. O objetivo é facilitar o acesso da capital paulista até o aeroporto, que deve ganhar importância nos próximos anos, desafogando os terminais de Congonhas, em São Paulo, e Cumbica, em Guarulhos.A Rodovia Raposo Tavares, com extensão de 389 quilômetros, o maior de todos os trechos, receberá R$ 1,8 bilhão em investimentos na duplicação da SP-225, entre Bauru e Espírito Santo do Turvo, e da SP-270, entre Maracaí e Taciba. O trecho entre Assis e Maracaí também será duplicado, mas as obras serão realizadas pelo Departamento de Estradas e Rodagem (DER), conforme contrato pré-existente, e, ao final, o trecho será incorporado à concessão.Os 361 quilômetros da Marechal Rondon Leste receberão investimentos de R$ 1,6 bilhão, a serem aplicados na duplicação da Rodovia Jornalista Francisco Aguirra Proença (SP-101), entre Campinas, Montemor e Capivari, e da Rodovia do Açúcar (SP-308), entre Salto, Capivari e Piracicaba. A construção do contorno de Piracicaba, de 8 quilômetros de extensão, também será realizada.Por fim, a Marechal Rondon Oeste, com 320 quilômetros de extensão, receberá investimentos de R$ 1,05 bilhão, destinados à construção de 11 quilômetros de marginais, faixas adicionais e acostamentos, além de passarelas, trevos e retornos. O trecho entre Bauru e Marília será duplicado pelo DER, conforme contrato já existente, mas não será incorporado à concessão ao final das obras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.