Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Investimentos estrangeiros caem 16,4% em 2005

O ingresso de Investimentos Estrangeiros Diretos no Brasil (IED) somou em 2005 US$ 15,193 bilhões, apresentando uma queda de 16,4% em relação aos recursos que ingressaram no País em 2004. Naquele ano, o volume de IED foi de US$ 18,166 bilhões. De acordo com dados divulgados hoje pelo Banco Central, em dezembro de 2005 a entrada de Investimentos Estrangeiros Diretos somou US$ 1,407 bilhão. Esse valor é menos da metade dos recursos que entraram no Brasil em dezembro de 2004: US$ 3,150 bilhões. Remessas líquidas As remessas líquidas de lucros e dividendos do Brasil para o exterior somaram, em 2005, US$ 12,686 bilhões, segundo o Banco Central. O valor é bem superior ao volume de remessas de lucros e dividendos em 2004: US$ 7,338 bilhões.De acordo com dados do BC, as remessas de lucros e dividendos em dezembro de 2005 foram US$ 2,247 bilhões, ante US$ 906 milhões, em dezembro de 2004.As despesas líquidas com juros somaram US$ 13,496 bilhões, em 2005, valor praticamente semelhante ao de 2004 (US$ 13,364 bilhões). Em dezembro, as despesas com juros somaram US$ 1,010 bilhão, comparativamente a US$ 1,087 bilhão, em dezembro de 2004. TransaçõesHoje, foi anunciado que a conta de transações correntes do Brasil com o exterior apresentou em 2005 o superávit recorde de US$ 14,199 bilhões. Este foi o maior valor já registrado na série histórica desse indicador econômico, que data de 1947. O resultado acumulado no ano é equivalente a 1,79% do PIB. Em 2004, o superávit em transações correntes foi de US$ 11,711 bilhões, o correspondente a 1,94% do PIB.

Agencia Estado,

19 de janeiro de 2006 | 13h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.