Investimentos fortalecem o emprego na indústria em SP

A indústria paulista abriu 62 mil vagas em abril, melhor marca para o mês desde 2003, segundo a pesquisa da Federação e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp/Ciesp), 80% das vagas (49.656) foram abertas no setor de açúcar e álcool, dado o início da colheita e produção como nos anos anteriores.?É uma atividade que passa por um forte processo de expansão nos últimos anos, que nunca ocorreu neste grau na história recente?, disse o diretor da entidade, Paulo Francini. Mas este ritmo de expansão não seria possível sem fortes investimentos, tanto das usinas como da indústria em geral.Além do segmento de coque, refino de petróleo e álcool, que atingiu 15,8%, os setores de alimentos e bebidas (13,18%) e de máquinas para escritório e equipamentos de informática (11,36%) registraram altas expressivas. Dos 21 segmentos pesquisados, houve alta em 16, estabilidade em 2 e declínio em 3 (móveis e indústrias diversas, edição, impressão e reprodução de gravações e produtos de madeira).Confirma-se, com os números da indústria paulista, o impacto da melhora das famílias de menor renda, influenciando diretamente a produção de bens de consumo de massa.A pesquisa individualiza 36 regiões onde estão as diretorias regionais do Ciesp. Destas, 29 registraram crescimento e 7, queda. As regiões com mais contratações foram Araçatuba, Sertãozinho e Franca - neste caso, cresceu 3,3% o emprego no setor de couro e de calçados, em recuperação.Os dados também confirmam a aceleração do crescimento econômico do Estado, já demonstrada nos índices da indústria e comércio levantados pelo IBGE. São Paulo tende a registrar com antecipação os ciclos da economia, tanto os de alta como os de baixa. É presumível, assim, que o ciclo positivo não esteja por terminar, apesar do recrudescimento dos preços e dos juros dos empréstimos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.