Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Investimentos: renda fixa é boa opção em 2001

Com a perspectiva de queda da taxa básica de juros (Selic) nesse ano, podendo chegar ao final de 2001 entre 13% e 14% ao ano - hoje está em 15,75% ao ano -, o investimento em fundo de renda fixa prefixado é uma das melhores opções. Isso porque, nesse caso, os papéis que compõem a carteira do fundo passam a valer mais com a queda dos juros.Para quem busca segurança maior, os fundos DI (ou pós-fixados) são as melhores indicações, já que a rentabilidade acompanha a variação da taxa de juros. Em caso de instabilidade externa, o investidor fica protegido de possíveis altas das taxas de juros negociadas no mercado financeiro. A primeira reavaliação da Selic nesse ano acontece nos dias 16 e 17 de janeiro, antes da reunião do banco central norte-americano (FED) que vai analisar a taxa de juros nos Estados Unidos. No Brasil, ainda não há um consenso entre os analistas de qual será a decisão a ser tomada pelo Comitê de Política Monetária (Copom). Já nos Estados Unidos, espera-se de uma redução dos juros de 0,25 ponto porcentual.Dólar e BolsaPara quem tem dívidas em dólar ou pretende economizar para uma viagem ao exterior, a recomendação é atrelar seus investimentos à moeda norte-americana. Isso porque, caso a cotação suba, o investidor terá sua aplicação protegida. Mas os fundos cambiais não representam um hedge, ou seja, um sistema de proteção perfeito. Isso porque há a incidência de Imposto de Renda de 20% sobre o rendimento mensal. Já os investimentos em ações devem ser escolhidos apenas por pessoas que não têm uma data específica para resgate dos recursos. Isso porque, em caso de perda, o investidor poderá aguardar até que o mercado se recupere e ele possa conseguir o rendimento esperado. A recomendação é de que apenas uma parte dos recursos seja direcionado para esse segmento e, mesmo assim, apenas quem aceita correr riscos e tem horizonte de longo prazo deve entrar nesse mercado. Outra dica: quem não tem o hábito de investir em ações ou não tem tempo para acompanhar os setores escolhidos deve optar pelo fundo de ações, ao invés de comprar ações diretamente. Isso porque têm a vantagem de aceitar aplicações de menor valor e contar com a gestão de um profissional.

Agencia Estado,

02 de janeiro de 2001 | 13h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.