Clayton de Souza/AE
Clayton de Souza/AE

Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

iPad 2 chega hoje e já pode acabar

Consumidores fizeram fila na noite de ontem para lançamento em São Paulo

Roberta Scrivano e Rafael Cabral, O Estado de S.Paulo

27 de maio de 2011 | 00h00

O iPad 2 começou a ser vendido no Brasil à meia-noite. Durante a noite, os interessados puderam comprar o tablet no Shopping Iguatemi, em São Paulo, na Apple Online Store e em outros varejistas virtuais.

No Iguatemi, a fila começou a se formar mesmo por volta das 22h30. Segundo os consumidores que estavam por lá, às 20h havia somente quatro pessoas. O primeiro da fila era Pedro Wilson, estudante de biomedicina de 20 anos.

Wilson havia chegado ao shopping às 15h e planejava comprar um iPad 2 de 32 gigabytes com conexão wi-fi. Mas não faria mais sentido esperar a redução de impostos prometida pelo governo? "Não consigo esperar até amanhã, imagine até o Natal", disse Wilson. Para ele, os iPads produzidos no Brasil não chegam ao mercado antes do Natal.

A expectativa dos lojistas é vender todas as unidades recebidas até o fim do expediente de hoje. Alguns varejistas, no entanto, devem receber outra remessa do aparelho amanhã. A estratégia de venda depende de cada loja, mas a expectativa é de que haja nova oferta ao público já na segunda-feira.

Além do Brasil, o iPad 2 foi lançado hoje em países como Índia, Rússia, Ucrânia e Chile. Todos os países devem sofrer desequilíbrio entre oferta e demanda.

A My Store, rede de sete lojas certificadas pela Apple em São Paulo, já recebeu duas remessas de iPad 2. A primeira desembarcou no Brasil sábado passado, segundo contou o dono da rede de lojas, Rodrigo Sé. "As entregas ocorrerão de forma contínua, mas em pouca quantidade. Sabemos que a ideia é fazer a conta-gotas", acrescentou.

A estratégia, disse o executivo, também é utilizada nos Estados Unidos. "A oferta é muito maior que a demanda", explicou. O objetivo da Apple com as "entregas a conta-gotas" é manter as gôndolas abastecidas (embora sem encher o estoque) e garantir que o cliente volte à loja no dia indicado pelo vendedor para fazer a compra.

Nos Estados Unidos, por exemplo, durante o lançamento do produto na primeira quinzena de março, a consultoria Piper Jaffray estima que foram vendidos 500 mil iPads 2 (equivalente a todo o estoque da Apple na ocasião) em um fim de semana.

Dias depois, porém, as lojas já recebiam novas remessas do aparelho. Mesmo assim, as filas nas lojas e listas de espera pela internet eram inevitáveis.

A expectativa de Sé, que abrirá suas sete lojas às 10 horas de hoje, é vender todas as unidades recebidas de iPad 2 em poucas horas. "Não posso dizer quantos iPads recebi, mas sei que são poucos para atender à demanda", comentou. "Há algum tempo recebemos ligações de clientes interessados no iPad 2. Mas não fizemos lista de espera", emendou.

A My Store é uma das varejistas que receberá a terceira remessa do produto amanhã. "Daí vamos colocá-los à venda na segunda-feira, provavelmente", antecipou o executivo.

Preço. O novo tablet da Apple tem um design diferente da primeira versão. Agora, o aparelho é vendido nas cores preta e branca, sendo 33% mais fino e 15% mais leve. Além disso, a bateria tem duração maior. O preço, tabelado pela Apple, é o mesmo do iPad 1: a partir de R$ 1.649.

A versão mais simples tem conexão wi-fi e 16 gigabytes (GB) de armazenamento. O modelo mais caro, com conexão 3G e 64 GB, sai por R$ 2.599. Os valores não incluem eventuais pacotes de acesso sem fio à internet das operadoras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.