IPC do Rio fica em ?0,05% (ante 0,11% em julho)

Houve deflação em agosto na cidade do Rio de Janeiro, segundo o Índice de Preços ao Consumidor do Rio (IPC-RJ). O indicador teve variação de -0,05% no período, informou hoje a Fundação Getúlio Vargas (FGV). O índice é inferior ao de julho (0,11%). O IPC-RJ leva em conta a famílias com renda de 1 a 33 salários mínimos. A desaceleração nos preços do grupo Habitação foi um dos principais responsáveis pela deflação em agosto no Índice de Preços ao Consumidor -RJ (IPC-RJ), segundo o economista da FGV André Braz, um dos coordenadores do indicador. Ele explicou que os preços no grupo Habitação passaram de 1,06% em julho para 0,23% em agosto. "Ocorreu menor pressão do reajuste nas tarifas de telefonia, no período, em comparação com julho", observou.Dos sete grupos que compõem o índice, quatro apresentaram desaceleração de preços, de julho para agosto. É o caso de Habitação; Saúde e Cuidados Pessoais (que passou de 0,35% para 0,19%); Vestuário (que passou de 0,45% para 0,03%) e Despesas Diversas (que passou de 1,82% para 0,82%). Os grupos a apresentarem aceleração de preços foram Educação, Leitura e Recreação (que passou de 0,04% para 0,17%); Transportes (que passou de -1,33% para -0,95%) e Alimentação (que passou de -0,66% para -0,23%). No caso deste último grupo, Braz destacou alguns itens que foram responsáveis pela deflação menos intensa em alimentação, como carnes bovinas (que passou de 2,76% para 3,3%), frutas (que passou de -3,27% para 3,04%) e carnes suínas (que passou -2,49% para 3,11%).Para o IPC-RJ de agosto, o economista não prevê deflação. "Devido ao reajuste nas tarifas de água e esgoto, que ocorrerá durante todo o mês de setembro, a inflação no IPC-RJ no próximo mês já contará com impacto de 0,35 ponto peocentual", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.