carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

IPC na 1ª semana do mês fica em 0,06%, abaixo do previsto

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) calculado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas da USP encerrou a primeira quadrissemana de abril em 0,06%, o índice mais baixo neste período desde agosto de 2003, quando houve deflação de 0,01%. O novo índice chega ao conhecimento do mercado horas antes de se iniciar a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) que vai decidir sobre a taxa básica de juros do País. Os analistas consultados pela Agência Estado esperavam que o IPC ficasse entre 0,10% a 0,18%. O item alimentação teve uma variação negativa de 0,36%, seguido de educação, com 0,09% e transportes, com 0,06%, o que puxou o índice geral para 0,06%. O porcentual apurado também é o mais baixo do ano, pois as outras quadrissemanas fechadas em janeiro chegaram a 0,59%; as de fevereiro em 0,46%; e as de março em 0,25%, mostrando o ritmo de queda que vem ocorrendo com a inflação desde o ínicio do ano. O item que mais subiu na apuração divulgada hoje foi vestuário, com 0,52%, principalmente pelas roupas da nova estação; o item habitação contribuiu com uma variação de 0,27%; despesas pessoais, com 0,21%; e saúde, com 0,15%. No caso do transporte, o porcentual negativo apurado no álcool combustível seguiu mantendo a inflação sob controle em São Paulo, ainda que este item esteja diminuindo sua queda a cada semana e se aproximando, assim, da estabilidade. As variações quadrissemanais são calculadas a cada semana para a faixa de renda familiar entre 1 a 20 salários mínimos. Para o cálculo das variações quadrissemanais, a Fipe leva em consideração a amostra total do IPC mensal de aproximadamente 110 mil tomadas de preços, que é subdividida em quatro subamostras, cada uma delas pesquisadas em um período de no mínimo sete e no máximo oito dias, o que forma a semana da amostra.Resumo da 1ª quadrissemana de abril de 2004:habitação: 0,27%;alimentação: -0,36%;transportes: -0,06%;despesas pessoais: 0,21%;saúde: 0,15%;vestuário: 0,52%;educação: -0,09%índice geral: 0,06%

Agencia Estado,

13 de abril de 2004 | 08h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.