bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

IPC registra nova deflação na segunda quadrissemana de junho

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), medido pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) da USP, apresentou redução de 0,50% na segunda quadrissemana de junho. A deflação do período foi maior do que a apurada na quadrissemana anterior, quando o IPC foi de -0,38%. A queda foi maior do que a esperada por 12 analistas ouvidos pela Agência Estado, que apostavam em uma variação entre -0,30% e -0,48%.A maior baixa foi Alimentação, com queda de 1,82%, ante recuo de 1,32% da primeira quadrissemana do mês. Transportes caiu 0,71%, ante variação negativa de 0,70% na semana passada. Despesas Pessoais recuou 0,27%, baixa que havia sido de 0,20% no período anterior. O grupo Educação registrou alta ligeiramente menor na comparação com a primeira quadrissemana: aumento de 0,05% segundo os dados divulgados nesta manhã, ante variação de 0,07%. Já Saúde, que na primeira prévia do mês havia subido 0,54%, avançou apenas 0,06% no período pesquisado. Habitação, que na semana passada tinha caído 0,03%, subiu 0,04% na segunda quadrissemana. A chegada das coleções de inverno às lojas fez com que o item Vestuário registrasse a maior alta do período: 0,84%, maior do que a apurada na semana passada, quando o aumento foi de 0,60%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.