finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

IPC-RJ ficou em 0,99% em janeiro ante 0,86% em dezembro

O Índice de Preços ao Consumidor da cidade do Rio de Janeiro (IPC-RJ) ficou em 0,99% em janeiro, segundo informou há pouco a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Em dezembro o indicador ficou em 0,86%. Segundo o economista da FGV, André Braz, 73% da formação do indicador em janeiro foi causada pelas elevações nos grupos Alimentação (de 1,02% para 1,54%) e Educação, Leitura e Recreação (de 0,96% para 3,43%)."Dentro do grupo Alimentação, o destaque é o item Hortaliças e Legumes que passou de alta de 4,82% para elevação de 7,95% de dezembro para janeiro", acrescentou o economista. Segundo ele, os itens alimentícios estão sendo influenciados pela sazonalidade do tempo em janeiro, que apresenta chuvas e calor em excesso. Já o grupo Educação está sendo impactado pelos reajustes nos cursos formais e de recreação.Além desses dois, houve aumentos de preços, de dezembro para janeiro, nos grupos Habitação (de 0,55% para 0,58%); Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,35% para 0,77%) e Despesas Diversas (de 0,85% para 1,55%). Houve recuo de preços nos dois grupos restantes que compõem o IPC-RJ, que são Vestuário (de alta de 1,30% para queda de 0,60%) e Transportes (de aumento de 1,64% para queda de 0,46%). Por produtos, as altas mais expressivas foram registradas nos preços de Curso de Ensino Fundamental (7,60%); batata inglesa (16,92%) e banana prata (28,10%). Já as mais expressivas quedas de preço foram apuradas em limão (-50,67%); tarifa de telefone residencial (-13,25%) e tomate (-7,78%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.