coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

IPC-S aponta deflação em 5 das 7 capitais pesquisadas

Cinco das sete principais capitais do País apresentaram deflação na terceira semana de junho, no âmbito do Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S). Segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV), que divulgou nesta segunda-feira os resultados regionais de inflação, os destaques ficaram por conta de São Paulo e Rio de Janeiro, que registraram as quedas mais intensas da história do indicador, iniciado em janeiro de 2003.No caso de São Paulo, os preços na cidade caíram 0,73% no IPC-S de até 22 de junho, queda idêntica à registrada na semana anterior. Segundo o vice-diretor do Instituto Brasileiro de Economia da FGV, Vagner Ardeo, ocorreu um "equilíbrio de forças" nos preços da cidade de São Paulo, que levaram à repetição da taxa. Produtos como alimentos e vestuário, cujos preços caíram respectivamente 2,19% e 1%, estão puxado para baixo a taxa do indicador. "Mas ao mesmo tempo, a perda de força na deflação de combustíveis importantes, como álcool combustível (de -12,51% para -10,86%) influenciam a taxa do indicador para cima", acrescentou o economista.Ardeo não acredita em intensificação da deflação na cidade de São Paulo, para a próxima semana. Isso porque a queda nos preços dos combustíveis deve continuar a perder força. Para o economista, a deflação mais fraca de preços no segmento pode ter impacto suficiente para diminuir a intensidade da taxa negativa do IPC-S na cidade.RioNo Rio de Janeiro, a queda recorde, de -0,39% (ante -0,23% na semana anterior) foi provocada pelos alimentos - cujos preços caíram 1,79% no IPC-S de até 22 de junho. Entre os destaques, estão as taxas negativas nos preços de hortaliças e legumes (-5,81%); carnes bovinas (-2,76%); pescados frescos (-4,35%) e adoçantes (-4,10%).As cidades de São Paulo e Rio de Janeiro são as de maior peso entre as sete pesquisadas para cálculo do IPC-S, e representam 60% da taxa total do indicador. O IPC-S completo de até 22 de junho foi anunciado na última sexta-feira (-0,42%).Outras cidades que apresentaram deflação na passagem do IPC-S de até 15 de junho até o indicador de até 22 de junho foram: Brasília (de -0,49% para -0,58%); Porto Alegre (de -0,14% para -0,18%); e Salvador (de 0,02% para -0,01%). O IPC-S de Recife passou de 0,20% para variação zero. A única capital a registrar aceleração de preços foi Belo Horizonte (de -0,05% para 0,03%).

Agencia Estado,

26 de junho de 2006 | 19h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.