IPC-S de 4,46% em SP é a maior alta desde 2004

A inflação no varejo na cidade de São Paulo fechou o ano de 2007 com alta de 4,46%, a mais intensa desde 2004, quando os preços na capital paulista subiram 5,83%. Em 2006, o Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) de São Paulo subiu 1,71% A informação é do economista da Fundação Getúlio Vargas (FGV), André Braz. Hoje, a fundação anunciou os resultados regionais de inflação das sete capitais usadas para cálculo do IPC-S de até 31 de dezembro, que subiu 0,69%. No ano, o índice total fechou com elevação de 4,60%.Por ser a capital de maior peso entre as sete pesquisadas para cálculo do índice, a inflação no varejo em São Paulo respondeu por 40% do total da elevação de preços no varejo nacional, medida pelo IPC-S. De acordo com o economista, alimentação foi o grupo que mais contribuiu para a formação da inflação do varejo no ano. Os preços dos alimentos encerraram o ano com elevação de 11,13%, bem acima da queda de 0,32% registrada ao final de 2006, nessa classe de despesa. "O cenário nos preços dos alimentos foi muito diferente esse ano, em relação ao ano passado", comentou o economista.FeijãoEntre os destaques de movimentação de preços no setor de alimentação em São Paulo, no ano, está o feijão carioquinha - que subiu 136,02% em 2007. Em 2006, o preço desse produto caiu 4,24%. "Essa foi a mais intensa elevação de preços no feijão carioquinha em São Paulo desde o início do Plano Real", disse.Braz lembrou que a oferta desse tipo de produto foi muito prejudicada devido a fortes problemas climáticos, e uma entressafra prolongada. "É um item que depende muito da produção interna, que não tem muito como importar, pois poucos países produzem", explicou. "Mas a oferta do feijão deve começar a se regularizar, assim que o período de safra do produto começar", afirmou.Rio de JaneiroA FGV revelou ainda que o IPC-S do Rio de Janeiro subiu 4,28% em 2007 - a mais intensa desde 2005, quando a inflação do varejo na capital fluminense subiu 5,75%. De novo, o destaque entre as movimentações de preços na cidade também foi o grupo Alimentação, cujos preços subiram 9,86% este ano, em comparação com a queda de 1,28% nos preços dos alimentos no Rio, no setor varejista, em 2006.Assim como em São Paulo, o feijão também foi destaque, mas de outro tipo: o feijão preto, mais consumido entre as famílias cariocas, e que teve alta de 41,17% em 2007, em comparação com a queda de 32,86% nesse tipo de produto em 2006. Foi a mais intensa elevação para esse item, no Rio, desde 2001, quando o feijão preto subiu 150,41%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.