IPC-S mantém-se estável em 0,82%

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) da semana referente a 25 de junho manteve-se praticamente estável (0,82%) em relação a semana anterior (0,83%). A taxa foi inferior à estimativa dos analistas do mercado financeiro (0,85% a 0,97%). Os dados foram divulgados nesta segunda-feira pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), que observou no documento de comentários do índice que "a desaceleração foi praticamente imperceptível, apesar de ter se verificado em cinco dos sete grupos" pesquisados. O grupo alimentação, que vem puxando o índice para cima nas últimas semanas, permanceu com variação alta, mas desacelerou de 1,48% na semana anterior para 1,40% na semana de referência, devido ao recuo de itens como hortaliças e legumes (10,45% na semana anterior para 10,35%), e frutas (-1,35% para -3,07%). Houve desaceleração de uma semana para outra também nos grupos de habitação (0,35% para 0,31%); vestuário (1,26% para 1,17%); saúde e cuidados pessoais (0,78% para 0,67%) e despesas diversas (0,16% para 0,15%). Por outro lado, a principal aceleração de preços ocorreu no grupo de transportes, que subiu de 1,17% na semana anterior para 1,46% na semana de referência, sob impacto do álcool combustível (cuja alta passou de 9,42% para 10,38%) e gasolina (2,16% na semana anterior para 3,19%). O grupo educação, leitura e recreação também subiu a variação de uma semana para outra (0,14% para 0,25%), sob pressão das passagens aéreas (4,38% para 5,59%). O IPC-S foi calculado com base nos preços coletados entre os dias 26 de maio e 25 de junho, comparados aos coletados entre 27 de abril e 25 de maio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.