IPC sobe 0,20%, abaixo da previsão dos analistas

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), calculado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) da USP, foi de 0,20% na terceira quadrissemana de março. Além de ter ficado abaixo da inflação apurada na segunda prévia do mês (0,27%), o IPC também foi menor do que o previsto pelos analistas ouvidos pela Agência Estado, que apontavam uma variação entre 0,25% e 0,33%. Apenas um grupo de gêneros pesquisados apresentou variação superior à apurada na pesquisa divulgada semana passada. A maior alta do período foi Despesas Pessoais, que subiu 0,50%, ante aumento de 0,64% na segunda prévia. Saúde subiu 0,45%, também abaixo do porcentual da pesquisa divulgada na semana passada (0,66%). Habitação teve variação de 0,36% (0,43% da última prévia) e Alimentação subiu 0,33% (0,40% na segunda quadrissemana). O grupo Educação teve alta de 0,04%, ante variação aumento de 0,16% na pesquisa divulgada na semana passada. Transportes registrou queda mais uma vez, com desaceleração 0,41%, um pouco superior à baixa de 0,35% da segunda quadrissemana. Já Vestuário foi o único item a registrar variação maior na comparação com a última quadrissemana, apesar continuar caindo. Na pesquisa divulgada nesta manhã, o grupo apresentou queda de 0,39%, mas na segunda prévia do mês a baixa foi de 0,63%. Veja as variações dos itens que compõem o IPC: Habitação: +0,36%; Alimentação: +0,33%; Transportes: -0,41%; Despesas Pessoais: +0,50%; Saúde: +0,45%; Vestuário: -0,39%; Educação: +0,04%; Índice Geral: +0,20%.

Agencia Estado,

26 Março 2004 | 06h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.