Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

IPC sobe 1,55% na primeira prévia de novembro

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) da Universidade de São Paulo subiu 1,55% na primeira quadrissemana de novembro, porcentual superior ao previsto pelos analistas ouvidos pela Agência Estado ontem, que apostavam numa variação entre 1,10% e 1,50%. O mercado esperava uma elevação do IPC, porque, segundo analistas, a alta do dólar que havia atingido os preços no atacado chegou finalmente ao varejo. Alimentação continua registrando a maior alta do IPC. O item subiu 4,07%, ante 2,86% no fechamento de outubro. Já Despesas Pessoais, a segunda maior variação do período, subiu 1,37%, mas apresentou queda em relação à pesquisa divulgada na semana passada, quando teve alta de 1,56%. Transportes, que subiu 0,89% no fechamento de outubro, apresentou variação ainda maior na primeira pesquisa de novembro: +1,15%. Saúde e Vestuário também tiveram variações menores em relação à pesquisa da semana passada. Veja as variações dos itens que compõem o IPC: Habitação: +0,57%; Alimentação: +4,07%; Transportes: +1,15%;Despesas Pessoais: +1,37%; Saúde: +0,49%; Vestuário: +0,98%; Educação: +0,27% e Índice Geral: +1,55%.

Agencia Estado,

12 de novembro de 2002 | 05h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.