IPCA-15 de fevereiro sobe para 2,19%

A inflação medida pelo IPCA-15 subiu para 2,19% em fevereiro, ante 1,98% em janeiro, segundo divulgou o IBGE. O resultado ficou próximo ao teto das estimativas dos analistas consultados pela Agência Estado, que previam o IPCA-15 entre 1,80% e 2,25%. A taxa sofreu impacto dos reajustes no transporte coletivo, combustíveis e no item educação. Juntos, esses grupos foram responsáveis por mais da metade do índice do mês (1,15 ponto porcentual). Os preços para cálculo foram coletados no período de 15 de janeiro a 12 de fevereiro e comparados com os preços vigentes de 10 de dezembro a 14 de janeiro. Os principais reajustes ocorreram nas tarifas dos ônibus urbanos (8,06%) e intermunicipais (9,57%); nos preços da gasolina (6,64%) e do álcool (9,47%), refletindo, ainda, os reajustes do final do ano passado; e nas mensalidades escolares (6,59%), com aumentos típicos de início de ano. Já os alimentos subiram menos em fevereiro (1,47%) do que em janeiro (2,74%). Além dos alimentos, segundo o IBGE, outros itens de consumo importantes também reduziram a taxa de um mês para o outro, como cigarro (de 10,21% em janeiro para zero em fevereiro), remédios (de 5,06% para 0,46%), gás de cozinha (de 4,39% para 0,17%), e vestuário (de 1,03% para 0,21%).O IPCA-15 é calculado segundo a mesma metodologia do IPCA, que tem coleta de preços realizada ao longo do mês civil. A diferença entre os dois índices está no período de coleta dos preços.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.