Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

IPCA-15 fica em 0,85%, acima das previsões

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo, do dia 15 de abril a 15 de maio (ICPA-15), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), ficou em 0,85%. O resultado é inferior ao IPCA-15 de abril (1,14%). O indicador de maio ficou acima da expectativa do mercado, que esperava algo em torno de 0,60% e 0,80%. No ano, o índice já acumula 7,51% e, nos últimos 12 meses, chega a 17,24%.Segundo o IBGE, a redução no ritmo de crescimento de preços de alimentos, combustíveis e remédios foram os principais responsáveis pela redução no índice de um mês para o outro - mesmo com alta no item energia elétrica (de 1,37% para 6,40%), cujo valor da conta aumentou em algumas regiões, reflexo dos reajustes contratuais e da cobrança das taxas de iluminação pública. Os alimentos passaram de alta de 1,61% em abril para 0,64% em maio. Os preços do tomate, por exemplo, que haviam atingido 63,07% em abril, apresentaram variação negativa de -20,62%. A gasolina, refletindo, em parte, a redução de 6,5% nas refinarias em 30 de abril, teve queda de 1,71% nos postos de venda ao consumidor (-0,63% em abril). Caíram, também, os preços do álcool combustível (de -1,31% para -2,83%), enquanto o gás de cozinha (de 4,08% para 1,94%) e os remédios (de 5,87% para 0,76%) subiram menos. O IPCA-15 funciona como uma espécie de prévia do IPCA fechado do mês e os preços para cálculo foram coletados no período de 12 de abril a 15 de maio e comparados com os vigentes de 15 de março a 11 de abril.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.