finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

IPCA-15 sobe para 0,57%

O IPCA-15 de setembro subiu para 0,57% em setembro, ante 0,27% em agosto, segundo divulgou hoje o IBGE. A taxa ficou dentro da expectativa do mercado (0,48% e 0,65%). O aumento na taxa de um mês para o outro foi provocado especialmente pela interrupção na queda de preços dos alimentos, dos combustíveis e remédios e pelo impacto de reajustes de tarifas. Produtos importantes na despesa das famílias como alimentos (que passou de -0,32% em agosto para 0,17% em setembro), remédios (de -0,21% para 0,15%), gasolina (de -1,23% para 1,88%) e álcool (de -10,33% para 6,43%), reverteram a queda registrada em agosto e passaram a apresentar variação positiva em setembro. Em período de entressafra, os principais destaques dos alimentos foram a carne bovina (de 1,04% em agosto para 3,52% em setembro) e o frango (de -1,30% para 1,02%). Houve impacto também das tarifas de água e esgoto (6,29%), energia elétrica (1,74%) e ônibus urbanos (0,47%), além do aumento dos cigarros (3,55%). O IPCA-15 é calculado de acordo com a mesma metodologia do IPCA, diferindo-se apenas no período de coleta. Os preços para cálculo da taxa de setembro foram coletados no período de 13 de agosto a 12 de setembro e comparados com os preços vigentes de 15 de julho a 12 de agosto. O IPCA-E (IPCA-15 acumulado no trimestre) do terceiro trimestre ficou em 0,66%, bem abaixo do segundo trimestre (2,22%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.