carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

IPCA confirma tendência e desacelera em janeiro, para 0,54%

Índice, que meda a inflação oficial do País, reduz ritmo no mês, puxado por alta menor dos alimentos

Jacqueline Farid, da Agência Estado,

13 de fevereiro de 2008 | 09h08

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPCA) confirmou a tendência de desaceleração neste início de ano e ficou em 0,54% em janeiro, ante 0,74% em dezembro, segundo divulgou nesta quarta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).  Veja também: Entenda os principais índices de inflação  O principal responsável pela redução do ritmo de alta na inflação foram os preços dos alimentos, que subiram 1,52% no mês passado, ante 2,06% em dezembro. Mesmo assim, o grupo ainda foi responsável por mais de metade da inflação do mês (0,33 ponto porcentual). A coordenadora de índices de preços do IBGE, Eulina Nunes dos Santos, alertou, além disso, que "ainda é cedo para concluir que há tendência de desaceleração generalizada nos preços dos alimentos". Segundo ela, a atual trajetória dos alimentos requer "cuidado, atenção e análise". Segundo Eulina, ainda que a alta nos produtos alimentícios tenha desacelerado em janeiro, a variação "continua relativamente alta" e há continuidade de aumento de preços das commodities no mercado externo e perspectivas de reajustes no preço de feijão, produto que representou a maior contribuição individual (0,08 ponto porcentual) no IPCA de janeiro. Entre os itens do grupo, houve desaceleração, de dezembro para janeiro, no preço das carnes (8,20% para 0,29%) e do frango (5,01% para 1,43%). Já os produtos não alimentícios tiveram variação de 0,29% em janeiro, também abaixo de dezembro (0,38%). A redução do ritmo, neste caso, ocorreu especialmente por causa dos combustíveis, cujo resultado passou de 1,58% em dezembro para -0,33% em janeiro.  O preço do álcool, que havia subido 9,35% em dezembro, caiu 1,12% em janeiro, enquanto o litro da gasolina registrou queda de 0,38% em janeiro, após alta de 1,03% em dezembro. Houve queda também nos preços da energia elétrica (-0,53%) e nos artigos de vestuário (-0,08%).  Em 12 meses, o IPCA - utilizado pelo governo para calcular a meta anual de inflação - acumulou alta de 4,56%, pouco acima do centro da meta do Conselho Monetário Nacional, de 4,5%. Segundo Eulina, essa é a primeira vez desde abril de 2006 que a variação ultrapassa o valor. Baixa renda O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) - que mede a inflação para as famílias com renda entre um e seis salários mínimos - variou 0,69% em janeiro, abaixo do resultado de dezembro (0,97%). Nos últimos 12 meses, o índice foi de 5,36%, acima da taxa de 5,16% dos 12 meses imediatamente anteriores. Em janeiro de 2007, o INPC havia sido de 0,49%. Os produtos alimentícios apresentaram variação de 1,67% em janeiro, enquanto os não-alimentícios aumentaram 0,32%. O maior índice regional foi registrado em Belo Horizonte (1,08%), e o menor, em Porto Alegre (0,10%).

Tudo o que sabemos sobre:
InflaçãoIPCA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.