Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

IPCA de abril é de 0,97%, ante 1,23% em março

O índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de abril ficou em 0,97%, abaixo da taxa de 1,23% em março, informou hoje o IBGE. O resultado ficou dentro das previsões de mercado, que variavam de 0,89% a 1,10%. De acordo com o IBGE, uma das principais causas da redução da taxa do IPCA de um mês para o outro foi a desaceleração de precos do grupo alimentos, que subiram 1,66% em março e tiveram alta de 1,01% em abril. De janeiro até abril, o IPCA acumula taxa de 6,15%, ficando acima da taxa de 2,30% relativa à igual período de 2002. Nos últimos 12 meses, o IPCA acumula alta de 16,77%, superior ao desempenho dos 12 meses imediatamente anteriores, quando o indicador atingiu alta de 16,57%. Em abril de 2002, o IPCA foi de 0,80%. O IBGE informou ainda que, além do grupo alimentos, contribuíram para a redução da taxa de abril a desaceleração na variação de preços de remédios (4,58% para 2,73%), artigos de limpeza (3,80% para 2,71%) e higiene pessoal (2,20% para 1,40%). Nos combustíveis, tanto a gasolina quanto o álcool tiveram variações negativas, respectivamente de 0,79% e de 2,05%. Porém a energia elétrica passou de 0,15% em março para 3,28% em abril, sendo a maior contribuição individual no índice do mês. O IBGE também divulgou o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de abril, que ficou em 1,38%, próximo ao resultado de março, que foi de 1,37%. Queda em maio Duas prévias da inflação no mês de maio, divulgadas ontem e hoje, também indicam queda da inflação: O IPC da Fipe ficou em 0,40% na primeira quadrissemana de maio, ante 0,57% no fechamento de abril;O IGP-M da Fundação Getúlio Vargas ficou em 0,01% na primeira prévia de maio, ante 0,69% da primeira prévia de abril.

Agencia Estado,

13 de maio de 2003 | 09h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.