IPCA de fevereiro cai para 0,46%

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), ficou em 0,46% no mês de fevereiro, ante a inflação de 0,57%, registrada em janeiro. O índice foi superior, no entanto, à inflação de fevereiro do ano passado, que foi de 0,13%. O IPCA é o índice de inflação oficial do governo, utilizado nas metas com o Fundo Monetário Internacional (FMI), fixada em 4% para este ano.No acumulado do ano, o IPCA está em 1,03%, acima do porcentual de 0,75% registrado nos dois primeiros meses do ano passado. Nos últimos 12 meses, a variação foi de 6,27%. A queda no índice de inflação de janeiro (0,57%) para fevereiro (0,46%) ocorreu, especialmente, pela queda no ritmo de aumento nos preços dos produtos alimentícios. Segundo o IBGE, o grupo Alimentação e Bebidas passou de uma variação de 0,63% em janeiro para 0,05% em fevereiro. No que diz respeito aos produtos não alimentícios, houve um pequeno crescimento da taxa de 0,55% em janeiro para 0,58% em fevereiro. O maior aumento de preços foi registrado no grupo Educação (2,88%). Houve queda nos preços do álcool combustível (-0,56%) e na gasolina (-0,07%).Em São Paulo, a inflação medida pelo IBGE atingiu 0,29% em fevereiro contra 0,25% em janeiro. A maior inflação entre as nove regiões metropolitanas pesquisadas pelo IBGE, além dos municípios de Goiânia e de Brasília, foi registrada em Belém (1,54%). O menor índice foi apurado em Brasília (0,19%). INPCO Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de fevereiro, também divulgado hoje pelo IBGE, atingiu 0,49%, contra 0,77% em janeiro. O INPC acumulado no ano é de 1,26% e nos últimos 12 meses, até fevereiro, a variação do índice foi de 5,9%. A maior variação regional do INPC foi registrada em Belém (2,10%), em quanto Brasília apresentou variação zero na inflação medida pelo índice. Em São Paulo, o índice atingiu 0,14% em fevereiro, contra 0,29% em janeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.