IPCA de junho tem deflação de 0,15% (alta de 0,61% em maio)

O IPCA registrou em junho deflação de 0,15%, a primeira taxa negativa divulgada pelo IBGE desde novembro de 1998 e também a maior queda da taxa desde setembro de 1998 (-0,22%). O resultado ficou próximo ao piso das expectativas do mercado (de -0,15% a +0,25%). A inflação de junho foi bem inferior à de maio (0,61%), especialmente por causa das quedas nos preços da gasolina (-4,94%), do álcool (-12,14%) e dos alimentos (-0,34%). Juntos, esses três grupos de produtos representaram contribuição negativa de 0,45 ponto porcentual no resultado de junho. Houve queda também nos preços dos remédios (-0,32%), cigarros (-1,68%) e televisão (-2,71%). O IPCA acumula no ano até junho alta de 6,64% e, em 12 meses, de 16,57%. o INPC, que mede a inflação para as camadas de renda mais baixa da inflação, registrou deflação de 0,06% em junho ante alta de 0,99% em maio. O INPC acumulado até junho atingiu 7,84% e em 12 meses chegou a 19,64%. Veja as explicações do IBGE para os números de junho

Agencia Estado,

09 Julho 2003 | 09h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.