IPCA de novembro fica em 0,55%

A inflação medida pelo IPCA ficou em 0,55% em novembro, ante 0,75% em outubro, segundo divulgou o IBGE. O resultado ficou dentro das estimativas dos analistas, que iam de 0,40% a 0,67,% e foi idêntico à média das previsões (0,55%). O principal fator responsável pela desaceleração da taxa, segundo o IBGE, foi o grupo transportes, cuja variação passou de 2,21% em outubro para 0,66% em novembro. A redução de um mês para o outro neste grupo ocorreu por causa dos combustíveis (de 5,3% em outubro para 1,15% em novembro), passagens aéreas (de 11,06% para 5,04%) e ônibus urbanos (de 1,10% para 0,64%). Os principais destaques de alta do mês foram dados pela energia elétrica (1,30%) e pelo grupo alimentação e bebidas, com variação de 0,88% em novembro, ante 0,27% em outubro. 6,22% em 12 mesesO IPCA acumulado no ano ultrapassou em novembro o objetivo da meta inflacionária perseguido pelo Banco Central para a inflação, de 5,1%. O índice registrou uma variação de 5,31% no acumulado de janeiro a novembro e uma taxa de 6,22% em 12 meses. Em novembro, o INPC, que mede a inflação para camadas de renda mais baixa da população, registrou variação de 0,54%, ante 0,58% em outubro. No ano, o INPC acumula alta de 4,63% e, em 12 meses, de 5,53%.Com poucas pressões em dezembro, IPCA 2005 não deve superar 6%As únicas pressões conhecidas para o IPCA de dezembro são os reajustes de ônibus intermunicipal em Belo Horizonte, ônibus urbano em Recife e taxa de água e esgoto em Fortaleza, segundo observou a gerente do sistema de índices de preços do IBGE, Eulina Nunes dos Santos. Os resultados de dezembro, assim como o IPCA acumulado em 2005, serão divulgados no dia 12 de janeiro. Eulina lembra que em dezembro não há nenhum reajuste forte nas tarifas públicas e a alta dos alimentos em novembro (0,88%) parece pontual, o que garante que o IPCA acumulado em 12 meses no mês, equivalente ao acumulado em 2005, fique abaixo de 6%. "A tendência é convergir para menos de 6%, já que em dezembro do ano passado a inflação chegou a 0,86%", disse. Em novembro, a um mês do fechamento do ano, o IPCA registrou uma alta acumulada de 5,31%, acima da meta ajustada pelo governo, de 5,1%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.