IPCA de outubro cai para 0,29% ante 0,78% de setembro

A inflação medida pelo IPCA caiu para 0,29% em outubro, ante 0,78% em setembro. A taxa ficou bem abaixo das previsões dos analistas ouvidos pela Agência Estado (0,41% a 0,60%). A queda expressiva de um mês para outro foi provocada especialmente pela redução nos preços dos combustíveis, desaceleração nos reajuste dos alimentos e a inexistência de impactos fortes de preços administrados. Houve deflação de produtos importantes como o álcool combustível (-3,07%); gasolina (-0,24%); gás de cozinha (-0,47%); acúçar cristal (-10,7%) e feijão carioca (-6,0%). O grupo de alimentos e bebidas, que vinha pressionando a inflação por causa da entressafra, desacelerou a alta de 0,78% em setembro para 0,46% em outubro. O IPCA acumulou no ano até outubro alta de 8,37% e a variação em 12 meses caiu de 15,14% registrados até setembro para 13,98% até outubro. O INPC, que mede a inflação para a camada mais pobre da população, registrou inflação de 0,39% em outubro ante 0,82% em setembro. O INPC acumula no ano até outubro alta de 9,39% e em 12 meses, 16,15%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.