finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

IPCA fecha 2000 em 5,97%

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 2000 ficou em 5,97%, ligeiramente abaixo, portanto, do centro da meta de inflação para o ano, que era de 6%. Em 1999, o IPCA tinha acumulado 8,94%, contra uma meta de 8%. Em dezembro, o IPCA foi de 0,59%, acima do índice de 0,32% de novembro. O aumento de 0,27 ponto se deu devido principalmente ao reajuste dos combustíveis autorizado em 23 de novembro, cujo impacto maior ocorreu em dezembro. A gasolina subiu 7,32% no mês passado, segundo o IPCA, dando a maior contribuição à alta do índice, com 0,30 ponto percentual do índice geral de 0,59%. O grupo alimentação e bebidas registrou queda nos preços de 0,48%. Os produtos não alimentícios subiram 0,90%. A inflação de 5,97% em 2000 foi distribuída desigualmente ao longo do ano: o IPCA foi de 1,64% no primeiro semestre e, no segundo, foi de 4,26%. O INPC, divulgado nesta manhã pelo IBGE junto com o IPCA, fechou 2000 em 5,27% e dezembro em 0,55%.

Agencia Estado,

12 de janeiro de 2001 | 09h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.